domingo, 25 de julho de 2010

Mark Linkous, Marlene Cardaman, Chegadas e Partidas...

Mark Linkous - O que você chama hoje de indie, para ele era underground

Falei há pouco tempo sobre o Spaklehorse. Mas tenho escutado tanto o disco "Dark Night of the Soul", que resolvi repetir a dica.

Esse disco é uma dessas "jam sessions" provocadas por gente de mesma... vamos chamar de... "camada social".
Músicos loucos, que levam o rótulo de psicodélicos, no meio disso tem ainda o David Lynch, que além de cantar (e ele é péssimo cantanto) cedeu fotos de sua criação para encartar o pacote que vem junto com o CD.
O livrinho com mais de 100 fotos ainda existe a venda (só foram publicados 5.000 mil exemplares), e pode ser comprado, separado do CD, pelo módico precinho de US$ 195,00 na Amazon.

Essa valorização não é só pelo CD e as fotos serem legais. São obras preciosas, já que o Mark Linkous, a mente por trás do Sparklehorse, deu fim a própria vida em 6 de março de 2010.

O Mark não era muito diferente de outros artistas malucões. Tanto que em 1996, durante uma turnê com o Radiohead, ficou caido no chão do seu quarto de hotel por 14 horas, com suas pernas dobradas e sem circulação de sangue... drogas é claro. (E para você que não sabe, álcool pode causar o mesmo efeito, e um belo dia você acorda em um hospital sem as pernas).

Depois desse evento o Sparklehorse ficou mais sombrio (E exatamente por isso na minha visão o som ficou melhor).

Muitos previam o suicídio do Thom Yorke (Radiohead) graças a sua depressão constante. Depois que o Kurt Cobain morreu (ou morrem ele), todos achavam que o Eddie Vedder (Pearl Jam) seria a bola da vez dos kamikazes do rock, mas não foi...

Diferente do Yorke e do Vedder, tanto o Kurt Cobain como o Mark Linkous sofriam de depressão de verdade. Não tinham amigos confiáveis. E se tinham amigos, eram drogados como eles. Nas piores horas da vida de uma pessoa dependente, até a família os abandona. Ninguém tem saco para aguentar surtos psicóticos.

Uma das fotos Lynchianas. É só clicar para ampliar


Vivemos nesse mundo de copiar e colar. Os país não tem tempo mais para educar seus filhos, e eles são cópias que parecem saídas de dentro da MTV - E toda vez que ligo a TV na MTV e vejo que os jovens usam mensagens de SMS por celular para saber se "o beijo foi bom", ou se o seu parceiro irá dar certo, fico imaginando que se a TV "sugerir" que cocô com açúcar é a melhoror sobremessa do mundo, todos irão começar a comer merda.

O que pode nos confortar, é que no meio de tanto lixo e pessoas fúteis, espelhos dos sites de fofoca e moda, ainda existe (muita) gente que usa os recursos disponíveis e de graça, para se promover fazendo coisas legais.
Achei um desses exemplos procurando a música "Revenge" do citado disco do Sparklehorse.
Pensei... o que esse menina quer com isso? ser atriz?
Sim! Exatamente!
E ainda tem o site dela com direito a uma "Demo Reel".
Parabéns a Marlene Cardaman.

O Mark Linkous não precisa ser entendido. Ele deixou uma obra, e que por sinal, é incompreensível. Pura psicodelia (Nem tanto).

Junto com o Mark, no dia 6 de março de 2010, tantas outras pessoas morreram. Mas como um amigo me disse num bate-papo há muitos anos atrás: "Todo dia nascem milhares de oportunidades, algumas crescem, outras morrem. Vivo mesmo é quem não as desperdiça".

Sempre existirá alguém perdendo, morrendo, e desperdiçando. Estou do lado do Eddie Vedder, da Marlene Cardaman... O mundo sempre pode ser mais bonito.

Quem canta a canção é o The Flaming Lips, a letra é do Mark e o vídeo é da Marlene:



Letra:

Pain
I guess it's a matter of sensation
But somehow you have a way of avoiding it all
In my mind
I have shot you and stabbed you through your heart
I just didn't understand
The ricochet is the second part

'Cause you can't hide what you intend
It glows in the dark
Once you've sought
The path of revenge
There's no way to stop
And the more I try to hurt you
The more it hurts me

Strange
It seems like a character mutation
Though I have all the means of bringing you fuckers down
I can't make myself
To destroy upon command
Somehow forgiveness lets the evil make the laws

No you can't hide what you intend
It glows in the dark
Once we've become the thing we dread
There's no way to stop
And the more I try to hurt you
The more it backfires

The more that it backfires
The more that it backfires

Se gostou do estilo, vale a pena pesquisar mais sobre o Sparklehorse, Flaming Lips, Richard Butler e Love Spit Love.
Postar um comentário