sexta-feira, 28 de dezembro de 2007

Idiocracy

Não queria sair jogando texto em cima de texto. Mas não tem faltado assunto.
Antes do ano findar tinha que assistir Idiocracy, e como esse tipo de filme não é fácil se achar, tive que me render a distribuição publica, que fique claro, sou contra.
Nada mais legal que ver um filme com todas as cores e resolução aceitável.

O filme trata-se do mundo daqui a 500 anos. Nada de Jetsons ou Blade Runner. Segundo o filme - que começa com tom de documentário - a sociedade (hoje) está divida entre idiotas e seres com mais QI. Só que como sabemos, a natalidade vem diminuindo em todo o mundo. A grande revelação é que os inteligentes não procriam, já os abestalhados são verdadeiros coelhos (Para você jovem que não entende nada de sexualidade dos coelhos, saiba que eles transam como loucos, e tem um poder de produzir coelhinhos que daria inveja a mamas do século passado).

Com essa disparidade entre idiotas e sábios, em 5 séculos o mundo tornou-se um grande deposito de lixo. O programa mais visto na TV chama-se “ai meu saco”, onde o sujeito tem seus testículos torturados te todas as formas. O filme que ganhou o Oscar de melhor roteiro em 2505 chama-se “Bunda” e durante 90 minutos o filme exibe nada mais, nada menos que uma bunda.

Bem, estava catando clipes no Youtube, e me deparei com um vídeo do Rammstein onde os grotescos alemães aparecem pelados e ainda uma pá de musculosos se esfregando.
Lembrei de uma das historias loucas do Loser ele diz: _Deus, fure meus olhos!

Isso me rendeu um aprendizado inútil, descobri que Schwuler não é mau cheiro nos pés.
Então, se você tem um amigo alemão, ou está de férias na terra de Hitler e o sujeito chega pra você e diz: _Schwuler!
Pode ter certeza, ele ta lhe chamando de viado!

Voltando ao filme...

A única coisa que achei estranho no mundo do futuro, desenhado por Mike Judge (Um dos criadores de Beavis e Butt-Head) é que existe muita critica sobre o modo de falar do protagonista, ele é taxado de gay durante todo o filme. Isso porque no futuro todos falam um dialeto que mistura linguajar de surfistas com dislexia e rappers.

Minha tese sobre o futuro envolveria um mundo quase 100% gay. O crescimento gay mundial é bem próximo da natalidade de idiotas (Não necessariamente um gay é idiota, e vice-versa)
Mas em Idiocracy os idiotas são machões, e o que não falta é sexo on demand.

Tem uma cena que um retardado fica feliz da vida por ganhar um novo amigo, eles se dirigem para uma missão que pode salvar a vida do protagonista, o dialogo é mais ou menos assim:

- Nossa, o que viemos fazer aqui?
-É, esqueci
-Olha, uma Starbucks, vamos “tomar um leite” (Starbucks no futuro é um puteiro)
-Nossa, eu não acredito, você além de gostar de dinheiro também gosta de sexo! (Só você vendo a cara de felicidade do bobão com o novo amigo)

Bem, se os caras do Rammstein estão até mostrando as partes para engordar a conta bancaria. Se críticas ácidas e cabeçudos como o Gore Vidal não conseguem mudar o mundo, quem sou eu.
É esperar a versão do Blade Runner com o Sebastian da C&A no lugar do Harrison Ford.


Dinheiro de 2505 :)
Postar um comentário