segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Coisas que me chateiam

As vezes é tão complicado explicar uma opinião pessoal, principalmente se ela pode ser considerada polêmica, que eu prefiro deixar a opinião para mim mesmo... Mas como esse blog é MEU...

Em vários posts aqui... vez por outra jogo umas pedras nos homossexuais...
Claro que é coisa em tom de brincadeira, mas quando me refiro aos gays do lado negro da força, eu pego pesado mesmo. E como já expliquei aqui algumas vezes, é impossível alguém me taxar de homófobo. Basta gastar um tempinho (notou que já comecei a usar "inho" para agradar as beshas?) e vai notar que preconceito é algo que não é comigo... Vide dezenas de posts sobre Six Feet Under e até alguns que tenho que explicar que não faço parte do time do arco-íris (porque quem defende muito ou é muito contra... você já sabe, é bicha)

Toda essa introdução (ui!) foi para dizer, vejam esse filme:

Filme Gay
(Melhor mudar esse título ou o Google vai jogar muita biba aqui)

Direito de Amar ("A Single Man" originalmente e não me pergunte como traduziram)
Um dos blogs sobre música que visito é o sANDman diaries. Tudo bem, tem o pequeno detalhe de ser um site RUSSO, mas o Google Translate tai pra isso. Só que quando vi a capa do Blu-Ray com a Julianne Moore (ela é uma delícia em fotos) e outra figura, que eu jurava ser o Ewan McGregor (claro, bicha também fica velha, seu gay). Imaginei... Filmezinho de época (notou o "inho"), deve ter algo de drama, e os atores valem a pena (estou me referindo a Julianne, fato).



Né que o cabra NÃO É o Ewan McGregor! E pior, a trama do filme é sobre um professor boiola, e chega uma hora... uma hora não... para mim foram dias com 240 horas, que surge um aluno cheio de boa vontade e SEN-SU-A-LI-DA-DE (depois dessa soletração, até eu tô achando que sou viado).

Meu amigo (putz, tô falando... é como coceira, depois que começa não para mais), o sujeito com insônia, se sujeita a contravenção de baixar um filme, vai ver essa bagaça tarde da noite, e do nada tá lá vendo cena de um homem (homem não né) se controlando para não ser seduzido por outro (ergh!). Peço desculpas aos meus amigos lado B (meu Deus eu tô gay demaiisssss), mas não estou preparado para essas coisas. Mesmo depois de ver A Sete Palmos, Angels in America e Philadelphia, ainda assim, essas cenas incomodam. E pior, esse filme não tem beijo, rala-e-rola... É pior, é realmente romântico (eita que meus amigos enrustidos estão todos animadinhos agora). Tirando toda essa áurea rosa, o filme é muito bom. É exatamente o que eu quero falar. O cara é gay, e dai? Um senhor de coração nobre, capaz de continuar amigo da ex-mulher que o perdeu para um homem é claro. E no final você fica com aquela coisa rara hoje em dia, um filme com mensagem e sem apelação. Ou seja, não é porque o sujeito é gay que precisa ser drogado, promíscuo e parecer uma árvore de natal.

Já que comecei com assuntos delicados, vamos continuar...

Música Evangélica endiabrada
(Por favor, me desculpem o subtítulo, não resisti)
Tenho uma regra de tentar entender as músicas que estou escutando. Muito babaca sai de casa com uma touca na cabeça, cheio de correntes de prata no pescoço e com o Eminem tocando no celular. O pobre coitado não faz idéia do que aquele branquelo idiota tá falando. A única coisa que o Eminem fez de bom na vida foi ter lançado a Dido, parou por ai. Se você acha que é arte um sujeito fazer um clipe musical onde ele xinga e MATA a mãe, por favor, esteja a vontade para fechar o browser e ir tomar seu anabolizante.

Eu escuto bandas que mesmo gostando muito do som, tenho um certo cuidado. Não acredito em tudo que eles falam (nas letras), e como é moda chocar, imagine quem já faz isso naturalmente o que não é capaz. O engraçado é que nunca tive que deixar de lado alguma banda que curto por isso. Certa vez vi um debate que acusava a Kari Rueslåtten de nazismo, ou melhor, a banda que ela tocava antes de sua carreira solo. Eu realmente deixaria de ouvir qualquer banda que levantasse essa bandeira.
Por outro lado, é muita besteira deixar de ouvir bons músicos porque eles sejam de determinada religião. E aqui para nós, as igrejas são berços de grandes artistas do som.

Algumas das bandas que escuto a muito tempo possuem diretrizes religiosas ou místicas. Existem casos de gente completamente maluca que não sabe em que acreditar, mas jogam todas essas dúvidas nas notas musicas. Outros fazem letras louvando Deus ou a natureza mística do universo. Aqui mesmo no blog é possível achar esses pregadores: Live, A Perfect Circle, A Band of Horses, The Duhks, entre outros, fazem parte dos que procuram respostas. E tem uma banda que descobri recentemente, que ainda toca nas igrejas e fazem um rock divino :)

Future of Forestry - Bold and Underlined


o myspace dos caras: http://www.myspace.com/futureofforestry

Descobri essa banda graças (notou que migrei de viadagem para coisas divinas?) ao Standardsongs, uns caras que são pastores do bom gosto sonoro.

Toquei nesse assunto religioso, para dizer que sou contra esse movimento mundial de ateização. Sou a favor que o mundo continue tendo diversas religiões, e que as pessoas continuem aprendendo e escolhendo sua fé. A nova moda no Brasil é o Espiritismo, e entre imaginar um mundo de ateus e ou de espíritas, eu fico com a segunda opção. Conheci pessoas maravilhosas que eram espíritas. Tenho amigos evangélicos, católicos e ateus, mas sendo bem síncero... Fanáticos são chatos, independente do livro sagrado escolhido. E ateus podem ser até mais chatos.
Muitos acreditam que sou ateu. Pode até ser uma boa definição, mas sou um cara para lá de espiritualizado, melhor me enquadrar como um Deista-humanista, ou qualquer outra coisa, desde que você não me jogue na fogueira.

Mais um assunto que levanta poeira, e que para mim a cada dia é mais físico que moral...

Tatuagem, para quê e para quem?
Outra moda que pegou. Infelizmente.
Todos aqui sabem que tenho idade suficiente para levar nome de tio, tiozão ou ainda coroa. Já prometi para mim mesmo que tenho que tomar vergonha na cara e deixar de ir para raves, olhar garotas abaixo dos 30, ser sensato e arrumar um emprego burocrático e esperar a morte chegar, mas é DIFÍCIL. (ainda mais sabendo que vai rolar Above & Beyond dia 5 de novembro)

Ultima festa... E-nation (Sim! Foi em Recife)


Bem... voltando...
Quando eu tinha uns 15 anos, freqüentava diariamente o centro da cidade. E algumas vezes parei com meu primo na rua da Aurora, perto da rua Sete de Setembro para observar os tatuadores que faziam seu trabalho ali mesmo, a céu aberto. Por duas vezes quase pintamos nossas peles.
Meu primo era muito mais velho que eu, mas nos meus sensatos 15 anos de vida, desistia na hora e ele por tabela também. Lembro-me do meu pensamento na época e que continua sendo o mesmo até hoje: "Se eu colocar isso, posso me arrepender um dia, pode ser amanhã ou daqui a 10 anos, mas nunca irei conseguir tirar isso".

Além de pequenos argumentos... Coisa simples como: AIDS, hepatite, tuberculose, preconceito (sim, existe) e além disso, a manutenção, ou você acha que sua pele não irá envelhecer e a tinta terá a mesma aparência sempre?
Tudo bem, eu sei que tem pessoas que gostam de sentir dor, e de tempos em tempos ir lá ser furado(a) deve dar prazer.

Medo é algo que nunca esteve na minha pauta. Pensar no prejuízo social de perder emprego ou ser atendido por ultimo em um hospital só por ter uma tatoo... Não, nada disso me impediria de colocar uma pintura em mim. Mas mesmo muito jovem, eu pensava adiantado o terror que seria ver no espelho algo eternamente. Pior ainda, poderia chegar o dia que eu mesmo não quisesse mais ver, e ai? comofaz?

Nos primórdios do Orkut (primórdios mesmo) uma garota ficou famosa por suas tatoos. Tinha o corpo inteiro tatuado de... vaca holandesa. Eram manchinhas (notou a viadagem voltando?) espalhadas por todo o corpo. Não ficava só nisso. Ela também tinha a língua bi-partida (aquele lance de cortar a língua ao meio) e também fazia suspensão corporal (sabe aquele negócio de enfiar ganchos na pele e ser erguido do chão?).

Com toda essa descrição você ai já criou o perfil visual e mental dessa garota. Só que olha que engraçado,  fui um dos que partiu em defesa dela quando um sujeito foi muito agressivo com ela pelo danado do orkut. Porque eu fiz isso? Simples, ela era só uma menina, e seus textos e imagens não condiziam com as agressões. Ela despertava muito mais pena das pessoas do que agressividade. Sendo síncero, claro que ele tinha problemas mentais. Você ai que é "artista" e acha lindo pessoas de língua partidas e ver ganchos sendo enfiados na pele humana, fique sabendo, prazer em sentir dor não é considerado algo normal, e nunca será. Sim, defendi a menina, mas eu não quero conviver com Freaks, e muito menos gostaria que isso se tornasse normal para a sociedade.

Com a moda das tatoos, agora qualquer madame pode ir no shopping e pintar a imagem do Luan Santana nas costas. Ou o office-boy pode ir na esquima e tacar no braço o brasão do time de futebol. Tudo isso porque é moda... E depois?

Vamos lembrar que a pele é um orgão. Além disso, é algo estético. Principalmente nas mulheres o efeito negativo (para mim) é enorme. Mesmo aquela gata de Floripa, que tinha sua tatoo tribal perfeita, me enjoaria de tanto ver aquela porcaria todo o tempo. Imagine ai meu amigo... Sua patroa, linda e sensual aos 20 anos. 5 anos depois tá lá, você vendo TODO SANTO DIA ela com a mesma calcinha. 5 ANOS. CINCO ANOS... TODOS OS DIAS, A MESMA CALCINHA. Tudo bem, eu acho que sou o único ser macho da terra, romântico, que não liga muito para isso de lingerie, mas 5 ANOS vendo pelada sempre do mesmo jeito, também não seria fácil manter o animo. Pois uma tatoo é isso - não é pior - é algo eterno e que não da para mudar.

Sempre achei bonito mulheres de pele branca ariana ou negras cor de chocolate. A pele feminina é uma obra de arte (se a mulher for bonita é claro), e fico me perguntando como uma garota de 19 anos, com uma pele de dar inveja a qualquer chinchila, sai de casa e leva seu lindo corpo para ser marcado para sempre... Pior, essa jovem ainda pode completar a barbarie colocando silicone nos seios. Mas pelo menos ela vai poder guardar as fotos do seu exibicionismo (Esse negócio de divulgar foto de mulher pelada é outra coisa muito de viado).

Como falei lá em cima, preconceito não é comigo. Se você já vem de fabrica tatuada, pode ter certeza que conta negativamente. Mas nada que uma boa conversa fiada não me enrole. (Espero que não leia os dois últimos posts abaixo)

Pois é, esse foi um post totalmente perda de tempo... Será que Above & Beyond não trazem a Justine Suissa e rola uma session Ocenlab made in Recife?
Postar um comentário