sábado, 22 de janeiro de 2011

Qwiki é a prova, ainda existe criatividade

Depois de ganhar míseros US$ 50 mil do TechCrunch Disrupt*, a Qwiki, uma startup que conseguiu a proeza de se destacar no meio desse universo tão concorrido de empresas criativas, agora recebeu um aporte de mais US$ 8 milhões do Facebookman Eduardo Saverin (Se você não é Nerd, não viu o filme, e não prestou atenção, o cara que paga a primeira hospedagem do Facebook e a primeira viagem de negócios do Mark Zuckerberg, é um brasileiro - só nasceu aqui)

Eu realmente vibrei com a Qwiki. Imagine uma Wikipedia que lhe dá respostas em vídeos e imagens, e tudo montado na hora, sem intervenção humana. Divertido, revolucionário e visual decente.




Sobre isso de Startups, gostaria de dar uma alfinetada...
Em nenhum lugar existem investidores "Anjinhos", essa galera quer investir e retirar 1000 vezes o que colocou.

Aqui no Brasil, antes das pessoas normais saberem o que era Internet, fui convidado para iniciar uma empresa de Games. A empresa era só uma idéia, e idéias no ar são NADA. Minha matemática era simples, nada de nada... é... NADA.
Mas claro, a proposta era empolgante, principalmente porque a menina sabia muito sobre o mercado de games (Isso mesmo, minha quase sócia... Uma mulher, nerd, viciada em games e que entendia tudo do business).

Eu disse não 1, 2, 3 vezes. Isso durante uns 2 ou 3 anos. Mas a menina parecia acreditar que eu realmente poderia ajuda-la (Na época eu era um dos poucos que realmente entendia de modelagem 3D, hoje até o meu sobrinho de 7 anos sabe o que é OpenGL), e quando recebeu um aporte de R$ 20 milhões, me ligou novamente. Dessa vez ela tinha dinheiro, disse que eu poderia fazer a proposta que desejasse, e eu seria contratado. Eu só fiz uma pergunta: Quem é seu padrinho nesse negócio?
Depois que ela me disse o nome do sujeito, juntando com a informação de que o dinheiro viria do banco Oportunity, eu disse mais uma vez, NÃO.

Essa garota, que lutou com sua alma, mente e coração para criar uma empresa revolucionária, hoje sumiu do mapa. Descobriu o quanto é sujo o mundo dos negócios (principalmente no Brasil), e não deve querer ouvir falar nunca mais em startup.

Se você tem uma idéia, uma tecnologia, um pequeno negócio, cuidado, investidores anjos podem até existir, mas eu só vi esses, em filmes.

*Tecnologia disruptiva é aquela que quando chega, é tão revolucionária que destroi a concorrencia e cria novos mercados antes nunca pensados. Ex: CD x MP3, VHS x DVD, Skol x Bohemia.
Postar um comentário