quarta-feira, 29 de junho de 2005

Serenidade (Desiderata) - Max Ehrmann

Transite com calma entre a bulha e a pressa, e não se recuse a paz do silêncio.

Sem sacrificar os seus princípios, seja cordial com todos. Mostre sereno e calmo a sua verdade. E escute a dos outros, mesmo a dos pobres de espírito, eles também têm o que dizer.

Evite os barulhentos e os agressivos, eles constrangem o espírito. Comparando-se com os outros, evite a vaidade e a mágoa, pois sempre haverá gente abaixo e acima de você.

Goze as suas vitórias como os seus projetos. Não despreze a sua carreira. Por mais humilde que seja, ela será um bem, nas incertezas do amanhã. Proceda com cautela nos contratos de comércio, pois o mundo está cheio de raposas. Mas que a cautela não o cegue para a virtude. Existe idealismo também, e não falta heroísmo no mundo.

Seja fiel a si mesmo. Acima de tudo, nunca finja afeição. Jamais seja cínico em amor, pois mesmo com o risco de aridez e desencanto, ele é perene como a grama.

Aceite de bom grado as ponderações da idade, não se apegue aos bens da juventude. Exercite a fortaleza de ânimo para se garantir nos desastres súbitos. Mas não se deixe transportar pela imaginação. Muitos receios nascem do cansaço e da solidão.

Adote uma disciplina saudável, mas não se esgote por ela. Você é filho do Universo, como as árvores e as estrelas, e tem o direito de estar aqui! E quer você queira quer não, o universo se expande como deve.

Esteja pois em paz com Deus, com o seu Deus, e sejam quais forem as suas lutas e os seus ideais, viva em paz com a sua alma, mesmo no fragor das batalhas.

Malgrado as imposturas, as durezas e as decepções, o mundo ainda é belo. Tenha cuidado. Procure ser feliz.

Max Ehrmann
Postar um comentário