terça-feira, 4 de outubro de 2005

Gosto, religião e plebiscito se discute sim!

Existe uma discussão sobre ser fã hoje em dia.

Fã na opinião dos radicais é o cara que escuta tudo produzido pelo seu ídolo.

Na minha opinião a história de que unanimidade é burra está completamente correta, até quando é a unanimidade de uma única pessoa. Se você acha que tudo que o tal ídolo criou é divino, você é maluco. Só o Rush fez tudo perfeito até hoje :D

Não é novidade minha apreciação por eventos melancólicos, sejam musicas ou filmes (na vida real acontecem sem a minha escolha).

O Pearj Jam, hoje megabanda, de boas raízes mas meio perdida, é o tema ideal para se bater boca até o sol raiar.

Bem, tive uma lojinha de CDs, que na chegada das 2 primeiras caixas de CDs (uns 20 em cada) 50% era o lançamento que eu mais esperava, Ten do Pearl Jam. Primeiro disco da banda, mas que eu já conhecia graças ao Temple of the Dog, onde o Eddie Vedder dividia os berros com o Chris Cornell (Soundgarden, Audioslave).

Esse disco é histórico, não só para mim. Nessa época o Nirvana sacudiu o planeta, era o lado suicida do rock, mas era onde estava o poder, a vontade de gritar e libertar as mentes presas a regras e mesmices. O Pearl Jam chegou como o equilíbrio, tinha a agonia e dor do rock melancólico verdadeiro, mas com força e rebeldia sem forçada de barra.

O primeiro CD que vendi foi o Ten. Nem abri a porta da loja, e um cliente amigo já estava lá. O cara era advogado, tinha uns 30 anos, e passávamos um bom tempo debatendo a explosão do rock naqueles maravilhosos anos 90.

Cheguei onde queria... Prefiro o Pearl Jam de antes. É mais pop? é!

É mais fácil de escutar? É!

É quase unanimidade? É!

E daí, eu gosto e pronto!

Fico pensando... Talvez se Chico Science não tivesse morrido, existiriam menos porcarias hoje. Ou na pior das hipóteses um E Q U I L I B R I O.

Cadê o movimento do povo que gosta de algo diferente do comum?

(na verdade o incomum é o que somos forçados a ouvir)

Será que só eu parei de ouvir rádios?

(Se todos continuam ouvindo... Meu Deus, é lavagem cerebral mesmo)

I'm still alive
Postar um comentário