domingo, 16 de outubro de 2005

O garajau - Da Sicilia a Santo André

Que país é este e que povo é esse?

Sei que poucos lerão o que escrevo aqui, ainda mais por ser um descritivo de revolta e desabafo. Ninguém gosta de problemas, e nosso povo está acostumado a jogar os problemas de lado e se preocupar mais com futebol e samba.

Já comentei que nosso Brasil será usado como fonte de estudo antropológico no futuro. Não existe outro lugar igual. Aqui existe a cultura do “me engana que eu gosto”, e do “só estou esperando minha vez” (de roubar). E seguimos nossas vidas reclamando de tudo e não fazendo nada.

Na África o povo é esmagado por governos corruptos e opressores, mas sobre uma opressão real, se você abrir a boca, morre. Esse povo pode ser comparado aos judeus, que não eram pessoas desprovidas do saber, pelo contrário, mas que se deixaram abater como tartarugas letárgicas de cabeça para baixo. Sabe-se lá explicar como tantas pessoas congelam diante de tal situação e se deixam dominar por poucos soldados, que seriam esmagados se a multidão reagisse.

A mentalidade brasileira é pior que tudo já ocorrido ou imaginado no mundo moderno. Nosso povo criou regras únicas... “Rouba mas faz” é uma delas.

Aprendemos logo cedo que é melhor aceitar nosso destino de rés que vai para o abatedouro, e a forma como tudo já funciona há séculos.

“Você não vai mudar o mundo” é outra retórica mais que comum, e não me choca ouvir isso dos humildes, mas sim dos alfabetizados e até graduados.

Essa situação me lembra o filme “A fuga das galinhas” onde um bando de frangas burras e desprovidas de qualquer senso ou habilidade é forçada a colocar ovos em série. Mas um dia a dona do galinheiro não mais satisfeita com o lucro dos ovos decide abater as penosas. Entra em cena o galã, ou melhor, o galo Rocky, que na verdade é um canastrão, mas cheio de idéias. A coisa começa a ficar pior porque a dona do empreendimento compra uma maquina de produzir tortas de galinhas.

O Brasil hoje é um grande galinheiro, e somos administrados pelo galo Lula. A grande diferença em relação ao filme que é muito divertido, é que o personagem principal não está a favor da multidão galinácea, e não tem preferência por torta e sim por pizza. Além disso, essa comedia da vida real, não tem nada de engraçado.

Desde que assumiu o governo da nação o PT se aperfeiçoou em aumentar a cegueira do nosso povo. E até esse momento o povão ainda defende Lula com unhas e dentes, ou melhor, esporas e bicos?

Já tentei mostrar o obvio, mas simplesmente a mente do brasileiro é feita de aço, e o que entrou lá na sua formação de vida não muda.

Mas agora a política suja e escroque está tomando outro rumo, o da máfia.

Vimos meses de denuncias e apresentações de sistemas organizados de fraudes e desvios de recursos, dezenas de debates intermináveis e que todos os participantes desse circo continuam sem punição.

Não é necessário ser advogado para saber que essas personagens cometeram crimes suficientemente graves para estar na cadeia.

Essa semana uma das testemunhas do caso Celso Daniel morreu de uma forma no mínimo estranha. Escutei a noticia pela radio CBN, em primeira mão, e a repórter informava que o legista Carlos Delmonte Printes teria sido morto com 3 tiros. Ao chegar em casa vejo no jornal Nacional da Rede Globo a noticia que a morte teria sido natural, que o legista havia adquirido uma gripe, que evoluiu para uma pneumonia e depois para um problema cardíaco (Deus me ajude, por que enquanto escrevo esse texto estou passando por uma gripe).

Para completar, o médico legista deixou uma carta pedindo que seu corpo fosse cremado em caso de morte, e que não deveriam realizar autopsia.

(Faltou na carta uma declaração dele pedindo os presentes de natal para papai Noel)

Esse caso do Celso Daniel é o mais absurdo de todos os tempos. Sete pessoas já foram eliminadas e nada é feito.

E nesse momento vejo a noticia que o governo de Lula teve sua desaprovação alterada de 54,3% para 58,4%. Mas para fritar meus miolos de raiva, a mesma pesquisa descobriu que 29,3% dos entrevistados votariam em Lula, um mês antes só 24,9% votariam no barbudo.
http://www.estadao.com.br/rss/agestado/2005/out/13/137.htm

Vale lembrar que graças a ultima eleição o PT conseguiu maioria da administração dos estados e municípios do país. Curiosamente nos municípios administrados antes pelo PT, o partido não conseguiu se reeleger.

Esse governo conseguiu o que nunca nenhum governo militar conseguiu, criar a dominação, planejada e executada com marketing e dinheiro dos cofres públicos.

A comparação com o governo militar é fácil de se entender. Nos anos da ditadura o sujeito que falasse demais e lutasse por um mundo livre e justo era morto. Mas naquela época o povo ficava indignado. Mesmo com a publicidade militar que alegava que todos eram anarquistas, o povo tinha complacência das vitimas.

Chegamos a ponto de não ligar para mais nada.

Já não bastasse a nossa educação católica que diz serem os ricos, pessoas ruins e gananciosas, agora seremos instruídos a total servidão.

Nosso povo nunca foi livre (algum erudito já disse isso). Somos galinhas as portas do abatedouro. Nos jogam milho na medida certa para que não haja canibalismo. Pode chamar esse milho de “Bolsa Família”, e Brasília de fabrica de tortas de galinha ou pizza de frango.

Só que na nossa história, o herói chamado de galo Lula, não vai salvar ninguém além dele mesmo. Um herói eleito pela maioria do galinheiro, mas que comprou um avião para poder ver o garajau lá do céu, e deixar os que não podem voar aqui no chão.

Será que verei o dia que o Brasil não será mais comparado com campos de concentração, Sicília e galinheiro?

Vou ficar aqui torcendo para minha gripe não evoluir para uma cardiopatia e que eu tenha muita paciência para esperar as mudanças.

Irmão de Celso Daniel teme ser a próxima vítima

“É que eu não tenho condições, porque se eu tivesse já tinha abandonado o País. Não só pelo risco, mas pelo desânimo, pela vergonha que está o País”. A afirmação é de João Francisco Daniel, irmão do prefeito morto de Santo André Celso Daniel, que declarou ao Estado seu medo de morrer.
http://www.estadao.com.br/nacional/noticias/2005/out/15/64.htm
Postar um comentário