sexta-feira, 2 de dezembro de 2005

Se for mentira eu cegue!


Ser Pernambucano é:

  • Ser acusado justamente de que somos os mais megalomaníacos dos brasileiros e de estarmos no topo de um tal de IGPM (Índice Geral de Pouca Modéstia);
  • Ter a mania de dizer que tudo daqui é melhor!(e não é mermo???);
  • Dizer de boca cheia que o Shopping Center Recife é o maior da América
    Latina;
  • Falar também que o Chevrolet Hall é a maior casa de show da América
    Latina;
  • Ter a maior avenida em linha reta do mundo - a Caxangá, no Recife;
  • Ter a maior feira ao ar livre do mundo - a de Caruaru;
  • Ter também o maior teatro ao ar livre do mundo - Nova Jerusalém, no município de Fazenda Nova, onde é encenada na Semana Santa o espetáculo A Paixão de Cristo;
  • Ter a mais antiga sinagoga da América Latina - fica no Bairro do Recife, situado na ilha de Santo Antônio. Sem falar que foram judeus recém-saídos do Recife que migraram para os Estados Unidos e ali fundaram Nova York, a maior cidadde do mundo;
  • Achar a Torre de Cristal do Brennand a obra de arte mais bonita do mundo;
  • Ter o maior paraíso do mundo e poder dizer com todas as letras: Fernando de Noronha é NOSSA!;
  • Saber que Recife é um dos grandes pólos de informática e de medicina do Brasil;
  • Saber que O Galo da Madrugada é o maior bloco carnavalesco do mundo (conduz mais
    de 1,5 milhão de pessoas nas ruas do Recife), de acordo com o Livro dos Recordes;
  • Ter orgulho do nosso São João que é o maior e melhor do universo;
  • Ter O Diário de Pernambuco como o jornal mais antigo da América Latina;
  • Saber que a primeira emissora de rádio da América Latina é a Rádio Clube de Pernambuco;
  • Dizer que Olinda se transformou recentemente na Capital Cultural do
    Brasil;
  • Estudos da Fundação Getúlio Vargas, que aponta as características econômicas de cada região, mostra que somos mais eficientes no comércio (influência dos holandeses?);
  • Passar um tempo fora, chegar na capital e cantar: "Voltei Recife, foi a saudade que me trouxe pelo braço, quero ver novamente Vassouras na rua passando, tomar umas e outras e cair no passo...";
  • Ah... Fazer a maior festa, de forma bem calorosa, ao encontrar um conterrâneo em outro estado ou país;
  • Morar em outro estado ou país e não perder o sotaque pernambuquês;
  • É encher o peito pra cantar: ".. eu sou mameluco, sou de Casa Forte, sou de Pernambuco, eu sou o Leão do Norte...";
  • É ser original, alegre, receptivo e solidário. É você perguntar onde fica o local tal e ser bem orientado por qualquer pernambucano;
  • É valorizar a cultura popular, apreciar suas belas praias, é ser um cabra da peste!!!!!;
  • É ser muito sortudo por nascer numa terra tão linda como essa;
  • E fazer qualquer coisa por um taquinho de rapadura e/ou queijo coalho quando reside fora de Pernambuco;
  • Se você reside fora do estado, é recomendar aos filhos omitirem o fato de serem Pernambucanos para não humilhar os colegas;
  • É se arrepiar com o nosso hino como se fosse o hino nacional, é usar nossa bandeira com todo orgulho, é saber a riqueza de nossa história...;
  • Usar camiseta, boné, botton com a bandeira do estado (que aliás, é a mais linda do país);
  • Saber cantar o Hino de Pernambuco em todos os ritmos: forró, frevo, maracatu. Enfim... é amar a nossa terra e defendê-la acima de qualquer coisa!;
  • Poder dançar um frevo em Olinda e se orgulhar em dizer que é nosso;
  • Encher os olhos d'água com aquele sorriso no rosto e até se tremer de emoção só de falar do carnaval de Olinda...;
  • Saber distinguir entre o Maracatu do Baque Solto do Maracatu do Baque Virado;
  • Ir ao Recife antigo e pode constatar todo aquele patrimônio arquitetônico;
  • Acreditar que Recife é mesmo a "Veneza Brasileira";
  • Amar as pontes e o Rio Capibaribe do Recife;
  • E as praias de Pernambuco? Boa Viagem, Piedade, Candeias, Gaibu, Paraíso;
  • Jantar olhando para a lua incrivelmente cheia e linda nos bares e restaurantes na beira do rio Capibaribe ou da praia de Boa Viagem;
  • Achar que Recife seria melhor se os holandeses tivessem permanecido e admirar Maurício de Nassau mesmo sabendo pouco sobre ele;
  • É sabermos da nossa importância na construção da história desse país, da nossa identidade cultural, do nosso passado fundiário, dos nossos engenhos de açúcar;
  • Ir ao monte das Tabocas perto de Vitória de Santo Antão e passar horas imaginando como
    uma batalha naquele lugar "deu origem" a um lugar tão maravilhoso quanto Pernambuco;
  • Dar mais importância ao Campeonato Pernambucano de Futebol do que qualquer Campeonato Nacional, pois futebol se restringe a rivalidades entre Náutico, Sport e Santa Cruz;
  • Ir ao Alto da Sé em Olinda apenas para ver Recife ao longe e comer tapioca;
  • Ir prá Gravatá, Garanhuns... e se encher de casacos, luvas... independente do frio que esteja fazendo;
  • Ficar sempre dividido entre as belezas das Praias de Porto de Galinhas e
    de Calhetas;
  • Ouvir Alceu, Geraldinho Azevedo, Chico Science, Luiz Gonzaga, Lenine e outros tantos e poder dizer "São meus conterrâneos";
  • Nos orgulharmos dos nossos grandes literatos: de João Cabral de Melo Neto, de Manuel
    Bandeira, de Carlos Penna Filho, de Osman Lins, de Gilvan Lemos, Raimundo Carrero, Luzilá Gonçalves, Nélson Rodrigues, Josué de Castro, Paulo Freire, Gilberto Freyre, além de Ariano Suassuna (que só fez nascer na Paraíba)... entre tantos outros;
  • Considerar Reginaldo Rossi o nosso Rei;
  • Achar que José Pimentel é a cara do Cristo;
  • Ir pra o teatro assistir "Cinderela" com Jason Wallace e se identificar com o sotaque e as gírias usadas no espetáculo;
  • Vibrar com a chegada de Joana Maranhão na final das olimpíadas, pois desde 54 que nenhuma nadadora brasileira consegue tal feito;
  • Freqüentar a praia de Boa Viagem em frente ao Acaiaca;
  • Tomar um banho no mar de Boa Viagem mesmo com placas de advertência de tubarão em todos os lugares;
  • E ir A Praia de Boa Viagem e tomar um "Caldinho Ele e Ela" p/ curar ressaca, gripe e dor de corno;
  • Adorar bolo-de-rolo, sucos de pitanga, mangaba, cajá, tamarindo, graviola, manga, chupar pitomba e jaboticaba;
  • Saber a delícia que é um bolo de bacia com caldo de cana;
  • Correr no Parque da Jaqueira e depois se empanturrar de caldo de cana na saída;
  • Tomar um caldo de cana no centro da cidade;
  • Tomar café da manhã (macaxeira com charque) nos Mercados da Madalena e Cordeiro depois da noitada;
  • Adorar o tempero da comida pernambucana: Buchada, Chambaril, Mão-de-Vaca, Rabada, Vaca atolada, Sururu, Caranguejo, Carne de Bode, Carne-de-Sol, Feijoada, Dobradinha, Fava... etc;
  • Nunca usar artigo na frente de nome próprio: nada de A Maria, ou O Recife...;
  • Saber o significado das palavras "pirangueiro", "pantim", "mangar" e "lascou";
  • Chamar Paínho e Maínha p/ visitar Voínho e Voínha;
  • Falar visse no final de cada frase;
  • Dizer: "É rocha !" , "É porque não dá mermo", "Di cum força", "digaí", "ta ligado!?", "oxente" entre outras...

    PENSE NUMA TERRA ARRETADA DE BOA!

    (Recebi esse texto por e-mail, não identificava o autor, mas deve ser Pernambucano :)
Postar um comentário