quarta-feira, 26 de setembro de 2007

Coxinha, coca-cola e a pobre velhinha

Tirei 20 minutos para almoçar. Isso às 14:15h
Fui lá na padaria chic, toda cercada de vidro. Sento a mesa e do meu lado por trás do vidro, uma velhinha sentada na calçada. A senhora era magrinha, pele muito enrugada, provavelmente sinal do sol que muitos nordestinos curtem nas praias ou suportam nos canaviais. Mas imaginei que a velha senhora só estava ali esperando alguém.

Durante minha refeição de coxinha com coca-cola, comecei a pensar na vida, e na arrogância do ser humano que tem um pouco mais de dinheiro ou QI [Sou um desses idiotas]. Graças a papai do céu eu posso dizer que aprendi a lição muito cedo, e passei a respeitar as pessoas como elas são, e não pelo que elas tem ou o QI que carregam. Claro, sou grosso e rude, coisa de cabra macho [ou idiota mesmo], mas no meu vislumbre filosófico entre a mordida naquela coxinha com gosto de sabão e um gole de coca, mais uma vez tive a tirada de gênio: “Todo mundo tem algo em comum, vai levar pá de terra na cara”. Mesmo aqueles que podem se finar no hospital de luxo e não sentir dor graças as drogas, terão o mesmo destino que o zelador do prédio, que o guarda de trânsito, o papa ou o catador de lixo. Nessa hora, somos iguais.

Termino esse maravilhoso almoço, e ao sair pela porta de vidro automática deparo-me com a velhinha me pedindo um trocado.
Vem um bilhão de pensamentos, mas o que mais me toca é que um dia pensei como muitos idiotas: “Esse é o destino daqueles que não planejaram sua vida. Chegam a velhice na sarjeta”.
Sim, assumo, já pensei assim.

A maturidade mostra muita coisa que sua cegueira escondia. O problema é que o oftalmologista da vida é a própria vida. E boa parte daqueles que nascem em berço de ouro morrem em berço de platina.

Você que é milionário, adote uma velhinha, uma criança, um cachorro, um cego, um pobre ou alguém que precise do papel vil. Essa droga é só dinheiro seu idiota, lembre-se que você será devorado por vermes ou queimara em um forno, da mesma forma que a velhinha da padaria.

Pronto! Terminou de baixar o arquivo aqui.
De volta ao trabalho... Irei ser comida de verme mesmo... mas, enquanto tô por aqui é melhor garantir o dinheiro do próximo almoço.

[Não sou de ter pena, acho um sentimento que não leva a nada, troco ele por revolta, que pode gerar uma atitude no lugar de só tristeza. Mas tive pena da velhinha, talvez por está tomando consciência que nesse país nada muda, e deve continuar assim, mesmo sendo o país com mais recursos do planeta].

Ontem, às 14:36h comecei a escrever esse texto.
Hoje, tirei 2 horas de almoço e comi um salmão com maracujá... Tá vendo que pena não leva a nada!

[Sou só mais um desses FPD que só faz falar, ação que é bom nada]
[Um dia posso estar sentado na calçada de alguma padaria, você ai também!]
Postar um comentário