domingo, 9 de dezembro de 2007

Quanto vale sua vida?

Se num belo dia ensolarado, no calçadão de qualquer praia do mundo afora, um sujeito batesse no seu ombro:
_ Amigo, quanto você acha que vale um dia da sua vida?

Sem por menores, você paga logo seu coco gelado e sai o mais rápido possível de perto desse maluco.
E se eu perguntasse quanto vale um momento da sua vida? Alguns minutos ou algumas horas?
Não! Não sou franquia do inferno e não quero comprar sua alma. Mas imagina ai na sua cabeça furtiva... Quanto vale um momento de vida?

Olha, isso é ultra complexo. Para cada um a resposta dependerá dos seus anseios e prazeres. Os fumantes são unânimes no seu ultimo pedido antes da cadeira elétrica, querem um cigarro!

Sou aficionado por música, então posso falar, 2006 e 2007 me tiraram pedaços de vida que nunca poderão voltar, e pior, não por terem sido realizados, mas por não terem acontecido.

Das coisas que perdi estão os shows do Anathema e do The Gathering. Provavelmente essas bandas não voltarão ao Brasil.
O The Gathering foi abandonado pela vocalista depois da segunda turnê pela America Latina, além disso, (ela, Anneke Van Giersbergen) passou maus bocados aqui, na turnê de 2006, ficando enfurnada num bar lotado de gente sem ar-condicionado, o que a deixou doente a ponto de cancelar um show no Chile. Em 2007, em suas ultimas apresentações, o The Gathering tirou o Brasil da rota.

O Anathema esteve no Brasil nos anos 90, mais precisamente em Belo Horizonte, na época os caras eram da turma do Doom Metal, e receberam latas arremessadas pelo público. Em 2006 a banda já havia mudado o tom do som, tornou-se uma das bandas de rock progressivo ou post rock (como queiram) mais conhecidas (do underground é claro).
Com 2 shows agendados no Brasil, um quase foi realizado em uma churrascaria em Brasília, que terminou acontecendo em um ginásio esportivo razoável. O evento de São Paulo foi muito pior. Quando os caras subiram ao palco e já havia fila para entrada, a policia interditou o local e fechou tudo alegando que a casa não tinha estrutura apropriada. Cabeludos de todos os cantos do país que viajaram para SP ficaram a ver navios.

Quanto valeu para um fã ver a Anneke cantando em nosso solo?
E depois saber que aquele seria o primeiro e ultimo show?
Quanto valeu a viagem a Brasília do cabeludo que foi ver o Anathema tocar em um pequeno ginásio?
E depois saber que se tivesse escolhido São Paulo ele jamais veria sua banda preferida tocar?

Se você não morre de amores por música, tudo que falei não vale de nada. Mas você tem sua paixão. Pode ser futebol, natação, corrida de cavalos ou ser viciado em colecionar garrafas de cervejas de todos os cantos do mundo. Ou ainda pode ser um humilde brasileiro, já cansado e quase sem sonhos, e seu maior desejo poderia ser algo simples como água encanada, e largar o sacrifício de andar léguas atrás de um balde com um líquido barrento. Quanto vale esse momento que você abre a torneira e jorra água límpida?
Quanto vale ser tocado ou tocar na sua nova paixão?
Seja uma paixão viva, carnal, sexual ou aquela moto preta com escape cromado?

Parece que o mundo hoje ficou tão complexo e sem tempo, que as pessoas deixaram de sentir prazer. Parem essa merda que eu quero descer!

É por isso que dia 28 estarei lá... Paul Van Dyk :)

Paul van Dyk feat Jessica Sutta - White lies
Postar um comentário