quinta-feira, 20 de março de 2008

A Realidade




















Eu sou uma tragédia. Não, eu não sou!
Eu sou ultra incompetente. Não, nem pensar, sou até perfeccionista!
A ignorância é uma dádiva. Não, mas é um anestésico, e pode lhe levar a morte!
Ter fé é importante. É sim, claro. Mas não deixe que ela se torne ignorância.
Tenha amor pelos outros. Sim, mas ame mais aos que lhe amam.
Tenha dois cachorros. Não faça isso se não tiver uma estabilidade financeira garantida por pelo menos 15 anos.
Tenha filhos. Sim, mas pense que diferente dos cachorros, filhos vivem mais de 15 anos.
Faça o que você gosta de fazer. Sim, mas cuidado, sexo o dia inteiro pode matar de inanição.
Trabalhe pelo salário. Sim, e seja funcionário público Gerson ou puxa-saco até a aposentadoria, desde que você aceite ver ao espelho um idiota.
Não escreva um blog, isso toma tempo. Não, escreva sim! É uma forma de descobrir que no mundo ainda existem pessoas que pensam como você e são diferentes de você.
Coma muito, até entupir. Não faça isso, vida é correr ou pular, tirando Jô Soares não existem gordos que chegam aos 70.
Mude de emprego e mude de vida. SIM! SIM! SIM!

Quando comecei a escrever esse blog eu era empresário. Fui a falência.
Depois de ficar só com um punhado de roupas, lutei. Melhorou.
Vivi o ópio da esperança, da crença, desenvolvida por uma parte obscura do meu cérebro. Na dose errada isso é veneno.



A mesma regra que aprendi sobre dinheiro, não usei com pessoas:
Se algo começa a dar errado, corte todos os custos, viva abaixo do necessário, e não crie dividas.
Eis que descobri que essa mesma regra, deve sim, ser usada com pessoas.
Isso é muito cruel, dói no coração, torna essa bomba de sangue mais pedregosa que já é, mas é a única forma de continuar vivendo dignamente.

Algumas poucas vezes na vida você tem chances de saber quem são os verdadeiros amigos. E vou falar algo absurdo...
Quando criança eu sabia do meu potencial, e tinha medo de ficar rico. Fácil de entender isso se você vem de uma família pobre onde “dinheiro não é tudo”.
Eu sonhava com coisas, queria coisas, mas existia uma promessa... Eu queimaria uma BMW zerinho, só para provar que não me rendi a loucura do poder financeiro.

Ainda não queimei uma BMW, mas descobri que tenho amigos verdadeiros. Tenho outros que são inertes e poucos que são falsos e destruidores de sonhos.

Então... Se algo começa a dar errado, corte todos os custos e os falsos amigos, e os falsos empregos e os falsos investimentos e os falsos relacionamentos...
A melhor coisa do mundo também é a pior, a realidade.
Postar um comentário