quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Sorte!



















Ontem estava esplanando sobre uma coisa que as pessoas simplesmente não aceitam ser levada em consideração, a sorte!
Nesse nosso mundo mecânico, eletrônico e cheio de gráficos e powerpoints ou cotações do dólar, com pessoas morrendo em acidentes de motos, se drogando para ver as coisas mais coloridas... No passado existiam seres chamados artistas, e eles levantavam bandeiras.
Eles só precisavam compor e expor o que todos já sabiam.

Mas o mundo virou um grande circo. Hoje qualquer um é "celebridade", e eu lhes pergunto, onde foi parar o preço, o valor real das coisas?

Existe uma leva de pensadores que acredita que estamos entrando em uma nova fase da tecnologia, e pela primeira vez, essa coisa robótica irá tornar nossas vidas mais fáceis. Eu não acredito.

Já os alienados, que não podem mudar o mundo mas pixam ele pelo menos, estão prensando discos de vínil, revivendo movimentos artísticos do passado... E sim, estão conseguindo fazer barulho, mesmo que sem muito resultado prático. Melhor que nada.
Ou melhor que movimentos sociais que ensinam crianças a fazer acrobacias e capoeira - Vocês conhecem alguma empresa que contrate acrobata, e pior, aos milhares?

Bem, tudo isso foi despertado porque começou a tocar isso aqui:
Whats Going On - A Perfect Circle

Se você entende o básico de música das boas, sabe que essa é do Mr. Marvin Gaye.
A letra original tá aqui. E uma tradução meio rabujenta, aqui.

Essa semana também ouvi algumas vezes a negona da voz mais dolorida e sensual da história, Etta James. Tenho que voltar a ouvir essa galera de pele negra. Acho que eles foram tão reprimidos, que passei a me identificar mais com eles. Claro, os negros dos anos 1920 aos 1970... Dai pra frente, é tudo pela grana camarada!

E a sorte?
Tem isso aqueles que aproveitam a vida sabendo que uma hora a luz se apaga.
Que é melhor chorar de qualquer tipo de dor do que passar a vida no quase, no talvez ou pior ainda... Na gélida tela do site do banco, conferindo se o dinheiro ainda está lá.

Você poderia fazer uma letra como o Marvin Gaye, que seria cantada por séculos, por dezenas de bandas e músicos de qualquer estilo, mas é mais fácil fazer um vídeo idiota e postar no Youtube, ou ganhar fama participando de qualquer coisa de muita audiência, seja lá o que for.

Ufa, sou um sortudo mesmo!
Postar um comentário