segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Novas Tecnologias e Dirty Harry


















Mascarado, 2007

Reynaldo Fonseca

óleo sobre tela 60 x 80 cm

Escritório de Arte, Rio de Janeiro


Eita! O carnaval nem chegou e passou e o ano para mim começou!

Será que eu não sou brasileiro?
Será que eu bati com a cabeça quando era pequeno – Porque eu nunca na minha vida acreditei nisso de que o ano só começa depois do carnaval.
O autor dessa lenda deve ser carioca. Malandro e brincalhão. Falou isso pela primeira vez em alguma roda de samba a sabe lá Deus quanto tempo. Algum espertalhão (Não... Eu não estou falando de um brasileiro cheio das malandragens não, tô falando de gente que sabe ganhar grana com a ilusão das massas) pensou em como venderia muito mais cervejas se o povo no lugar de estudar e lutar por uma vida melhor, esperasse o carnaval passar. E assim muitos esperam o carnaval passar para poder viver.

Ano passado escutei de algumas pessoas que o carnaval é um evento singular. Nele as pessoas descarregam toda a carga pesada que é viver uma vida dura, e soltam seus demônios no sentido menos figurativo possível.

Alguns usam máscaras, outros ficam nus, o que havia em comum nessas opiniões que escutei era que o povo usava esses poucos dias para se soltarem e fazer tudo que não tem coragem em outras épocas.
Falando sério, isso é muito estranho para mim.


Próximo assunto...

Continuo sem entender o mundo. Principalmente a baderna que são os conceitos filosóficos de pessoas que bradam certas bandeiras.
Sim, ainda existem pessoas lutando por ideais.

São socialistas que criaram modelos de negócios e estão fazendo dinheiro e aumentando o market share pulverizando a idéia de que a produção em larga escala baixou os preços e ajudou a erguer as classes menos favorecidas. Agora os pobres podem ter acesso a coisas que só os ricos tinham, como celular e DVD! (What? Cuma?)

Também temos inúmeras instituições que pregam a ética. Ética de um modo geral, mas é tão geral que eu queria entender o que é ética.

Se olharmos para o corporativismo governamental ou institucional, veremos que as “panelinhas” nunca foram tão fortes. Pode ser que poucos passem em concursos públicos, mas muitos conseguem se empregam em governos municipais, estaduais ou federais.

Quando mais me falam em números positivos da economia mais acho que estamos andando para trás.

Como podemos falar tanto em ecologia, aquecimento global, fome mundial se a única regra para todos os administradores do mundo é uma só, crescer.

Deveríamos cuidar das pessoas não dando só comida, mas comida de qualidade.
Não deveríamos só dar comida, mas educação. Neuroticamente educação.

Enquanto muitos acreditam que o mundo está se voltando a atender as necessidades dos pobres, com países do BRIC (Brasil, Rússia, Índia e China) encabeçando uma melhora de tudo que já foi de miséria e chagas para os esquecidos da sociedade, eu tenho a convicção que os ricos só descobriram uma forma de tirar dinheiro de quem já não tem.

A prova que fabricar pobre é a ultima moda pode ser facilmente conferida olhando para o Sul do Brasil. Em Florianópolis não existiam favelas a 10 anos, e agora?
Curitiba e Porto Alegre, lugares de gente branca e limpinha já não é assim aquela coisa tão européia. No Nordeste bairros pobres de Pernambuco, Bahia e Ceará agora estão mais parecidos com o sudeste, pelo menos com as áreas de morros apinhados de favelas.


Novas tranqueiras...

















Tablet Apple, quem não vai querer?

Eu trabalho com tecnologia, tenho que acompanhar os preços de muitos itens que chegam no Brasil. Boa parte por grandes corporações que descobriram meios de tornar a carga de impostos de importação uma reles etapa a ser passada por cima. Não precisa ser um contador ou gênio de matemática financeira para descobrir que é impossível concorrer com produtos que estão no mercado trazidos de forma “estranha”.




















Zotac MAG - pequeno, bonito e gasta 1/3 da energia de um PC, ainda roda tudo o que muitos PC antigos não rodam, como vídeos em HD. Quero inundar faculdades com esses bichinhos.


Os próximos 3 anos serão efervescentes para quem gosta de novidades tecnológicas. Já começaram a chegar no Brasil os primeiros Nettops, PCs de baixo consumo de energia que irão racionalizar o uso de computadores, que são devoradores de energia. Como as empresas irão trocar seus PCs antigos por esses equipamentos sem pensar duas vezes, já que a redução do consumo de energia vale muito a pena, irá passar em branco que o custo de produção desses equipamentos é muito mais baixo, mas eles devem se manter no mesmo patamar do preço dos PCs tradicionais. Mais lucro para os ricos, e ninguém vai nem perceber isso.

Ainda esse ano irá começar a avalanche de tablets. Computadores que são do tamanho de um livro, finos e com uma tela sensível ao toque (touch e mult touch). Esses Tablets já chegam ao mercado para destruir uma tecnologia que nem sequer começou, os eBooks – Leitores de livros também em forma de “tábuas” só que já vieram ao mundo natimortos, isso porque são de tecnologia fechada, ou seja, você é obrigado a comprar seus livros eletrônicos ao fornecedor do eBook ou parceiro dele.
Sem falar que os Tablets possuem telas com maior resolução e coloridas, coisa que não acontece com o mais famoso dos eBooks, o Kindle da Amazon.
A Microsoft e outros tantos já lançaram seus modelos, sem causar muito barulho aqui pelo Brasil, que para eles não é um mercado interessante para esse tipo de produto (por enquanto).
A sensação do mercado dessa nova tecnologia será o Tablet da Apple, que na verdade foi quem prévia a existência desse produto, mas vai chegar atrasada dessa vez.

E você, eu e o resto da massa, iremos desejar ter um desses. E o povão vai comprar as versões chinesas que não funcionam direito e duram 3 meses. E do Wallmart a lojinha de informática da esquina, todos irão vender os Made in China e os lindos e caros Tablets da Apple, Microsoft, Dell e HP.

Se o Twitter e o Big Brother fazem sucesso, porque algo que realmente vai mudar a forma das pessoas lêrem seus livros, sites e verem fotos, TV e vídeos não iria ser desejado?

Aqui no Brasil ainda teremos mais uns 5 anos até podermos ter uma qualidade de conexão com a internet de respeito. Não adianta sonhar com GVT ou Oi Velox Ultra (Isso especificamente no Nordeste e regiões longe de SP), essas empresas (como sempre) prometem o que não podem cumprir. Isso não é culpa deles, é culpa do governo que é um mero personagem fictício nessa republica fictícia.

Avatar

Avatar foi o que eu esperava tecnologicamente. E foi surpreendendo pelo enredo e desenrolar da historia. Eu já estava ficando acostumado com filmes que os bandidos ganham no final e que não existem mocinhos e mocinhas.

Dicas...

Revi (mais uma vez) Onde os fracos não tem vez...
Calma, eu não represento um perigo para a sociedade (onde é que vende dessas garrafas de oxigênio mesmo?).
Eu assumo, adoro filmes densos e que fazem o coração ficar apertado com medo da sociedade de consumo (com exceção de The King, porque esse me deixou passando mal por 5 dias).

Está aqui na fila de filmes para serem vistos:

Gran Turino – Vi um pedacinho. É o Clint Eastwood mais uma vez no papel de Dirty Harry :D

Contatos Imediatos do Terceiro Grau – Clássico do Spielberg (Adoro rever filmes bons).

Contato de 4º Grau (The Fourth King) – A critica meteu o pau, mas tem a Milla Jovovich, então...

Serenity – Já vi também. SCI-FI de primeira e foi a primeira vez que vi a Summer Glau, que mesmo fazendo papel de monga se destaca na tela.

Era uma vez na América – É difícil imaginar que alguém vê um filme desses varias vezes, mas eu vi mais uma! :D (Doutor Jivago, também!)

Esse ano pelo jeito será um post por mês e olhe lá.
Tenho que deixar de ser pobre, comprar uma casa, um carro, um tablet, um Nexus One, ter uma conta nas ilhas Caiman... Ufa! Vai ser dureza. Mas irei pedir conselhos aos CEOs do Wallmart, Intel, Telemar, Telefonica e quem sabe a Lula, o filho do Brasil.

Postar um comentário