quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

O Mito Pruitt-Igoe: uma História Urbana

Uma história que teima em se repetir...
Depois de ver 3 documentários fantásticos (soberbos, maravilhosos, xoxota das galáxias, etc) sobre ecologia, vejo que o racional é ser irracional.
Se considerar que a vida humana também é ecologia, aconselho ver o trailler de O Mito Pruitt-Igoe: uma História Urbana.

Ocean

Não é profundo. Não tem nada de ecochatice, é apenas para você ver o quanto as cameras de alta definição são capazes de deixar seus olhos brilhando. Se você tem um pouquinho mais de QI e sabe sobre a "verdade", esse será um belo retrato em movimento para guardar, já que boa parte dos animais que aparecem não existirão mais daqui a 50 anos.


Shiver: remoção das barbatanas de tubarão em Moçambique

Separe 1 hora da sua vida. Veja esse documentário feito com o mínimo de recursos financeiros, sem amarras ou vínculos com organizações ecológicas ou capitalistas selvagens. É uma obra de arte do jornalismo limpo, que deixa você mesmo escolher quem é o certo e o errado.

E se achar que o certo é criar formas de turismo auto-sustentável, fique sabendo que a minha opinião é de que isso não existe, ou pelo menos nos moldes que se oferecem hoje, é algo puramente feito para ganhar dinheiro fingindo que está sendo legal.

Vi nos últimos 12 anos trechos gigantescos de praias paradisíacas serem destruídas pelo turismo ecologicamente correto. Na Amazônia, projetos que tem uma fachada de "colhemos o que a terra oferece" já fizeram vilas com 100 pessoas tornarem-se cidades de milhares de habitantes.

Infelizmente, a raça humana é a maior praga do planeta. Somos os gafanhotos mais vorazes e incontroláveis. É difícil entender como criaturas que criam coisas tão belas, são capazes de serem tão estúpidas.

Os ecologistas mais chatos são os ciclistas. Desses que odeiam carros e passam a vida a criticar a raça humana. Infelizmente para mim, estou ficando cada vez mais do lado deles, mesmo querendo ter um carrão, com centenas de cavalos de potência.


Home

Esse com certeza é o documentário cinematográfico de maior qualidade técnica já feito na historia. Ao contrário do video moçambicano, aqui não faltou verba, equipamentos e os melhores profissionais.

Então me faz entender, como é que esse filme, que pode ser visto em HD, de graça, direto noYoutube, já falado e legendado em várias línguas... Como é que isso não é um sucesso?
Como?

Eu lhes digo: O mundo mudou.
Ninguém mais tem tempo para ler, prestar atenção ou até raciocinar... É tudo muito rápido, você só tem que sequir o fluxo da onda. Querendo ou não.
Quem ganha com isso?
É esse o ponto que o documentário Home do fotografo e ambientalista Yann Arthus-Bertrand quer chegar, e ele é muito sutil nas suas considerações, eu prefiro o estilo Onde os Fracos Não tem Vez de explicar as coisas.
Se você acredita que os pobres do mundo estão melhorando de vida graças as revoluções sociais, a distribuição de renda ou qualquer outra dessas balelas, acorde, você está sendo enganado.

E se você ascendeu socialmente e agora tem um Celta e pode morar na sua casa própria em um condomínio lotado de outros endividados, é bom se informar mais sobre urbanização e para onde o dinheiro vai.
Você perde sempre. Irá levar 30 anos para pagar um apartamento que em 5 anos já vale menos do que você já pagou nesse período. Se você deixar de pagar as parcelas do carro, o banco e a fabricante de automóveis ganham da mesma forma, na verdade, no mundo moderno nem importa se a empresa gera lucro, ela só tem que fabricar em um volume gigantesco produtos que poderiam durar 10 anos, mas que são feitos para funcionarem por no máximo 2.

Você acredita em bio-combusível e no pré-sal, mas não percebeu que as ações da Petrobrás caíram. Isso se deve ao fluxo do dinheiro. Os acionistas de peso são uma parcela minúscula em numero de seres humanos, mas eles ficam com mais de 80% de todo o dinheiro do planeta, e diferente de você e eu, eles não acreditam em mentiras plantadas, eles mesmo as criam e lucram com isso.

Em Recife hoje existem mais obras de construção civil que o mercado comporta. Mas você vê os prédios crescendo, maquinas removendo montanhas, e me acha louco por não acreditar na pujança financeira do Brasil, ou melhor, do Nordeste, que passou a ser a menina do olhos dos grupos empresariais que aqui agora aportam.


E o que você como ser humano ganha com tamanho crescimento?

Não preciso de relatórios ou pesquisas para saber que a cidade onde moro hoje tem um calor insuportável. O bairro mais populoso da cidade, Boa Viagem, já foi um lugar de temperatura amena, a brisa do mar e o imenso mangue que fica ao centro do bairro refrescavam o verão constante.

Guardem as fotos, pois o mangue e sua área verde não existirão mais em menos de 5 ou 10 anos.
A conta de energia eletrica irá subir, mais fabricas de ar condicionados nascerão, mais produtos químicos gerados no ciclo e ninguém mais irá se lembrar de que um dia existiram arvores, o cimento é lindo.

http://www.youtube.com/user/homeproject
Postar um comentário