domingo, 13 de fevereiro de 2011

TED x Audiência x Embromation

As vezes acontecem coisa inevitáveis, como por exemplo, clicar em links.
E, terminei clicando em um desses, que naturalmente eu deixaria passar em branco, mas a empolgação dos adoradores do Sílvio Meira era tão elevada, que resolvi ver...

Eu queria deixar claro, que já frequentei o Blog do famoso professor. Inclusive já aplaudi alguns textos dele. Mas, sempre achei mais do que exagero exacerbado, o altar que o colocam.
Isso é só a prova de quão incompetentes são aqueles que fazem o mundo da tecnologia no Brasil. Não é que o S. Meira seja o “máximo”, e que os realmente bons, não conseguem espaço na mídia, e isso é uma prática antiga no nosso país.

Ainda hoje, muitos acreditam no lema de Sílvio Santos: “Eu dou o que o povo quer”

TEDxSP 2009 - Silvio Meira: Cooperação


Jogando limpo, o Dr. S. Meira é até melhor do que essa palestra. Como sempre, ele faz um apanhado do que qualquer cidadão mais antenado já sabe. Ainda é um desses que teima em criticar o sistema educacional, mas não aponta soluções práticas (E não fala nada do lixo que se transformou o ensino atual). Para um professor, ficar diante de um palco do TED, acompanhado de um PowerPoint e com uma didática que deve ter feito 90% da plateia bocejar, vejo que os “mestres do universo” da tecnologia no Brasil realmente não entendem nada de gente, só do parco universo deles mesmo.

A dica que dou para o Sílvio Meira, é que vá a praia, as ruas e fale com as pessoas ao vivo, já que o mundo fechado do Twitter e redes sociais são apenas estatísticas, e a vida real é muito diferente do que popstars e bestsellers vendem.

O numero de usuários das redes sociais tende a crescer, e muito. Isso se deve a novos usuários da Internet, que só agora estão levando para casa seu primeiro PC. Esse publico novato irá abrir contas em Orkut e Facebook. Irão postar trilhões de fotos, enviarão bilhões e bilhões de mensagens, e agirão exatamente como novos compradores de iPhone, brincam por uma semana, e já perde a graça. Em algum tempo, e não acredito que irá demorar, a curva será decrescente. E essas empresas de publicidade que dizem entender de mídias conectadas sofrerão uma limpeza étinica, sobrando apenas os que realmente entendem os números, ou melhor, os HONESTOS, que não enganam seus clientes com promessas de milagres.

Nunca esquecerei os velhinhos de cabelos brancos do final da década de 90. Enquanto todos corriam desesperadamente para estar na Internet, os sujeitos conservadores que o Prof. Sílvio critica, estavam caminhando a passos lentos, e esperando para ver no que tudo aquilo iria dar.
E veio a Bolha, e as empresas de tijolos continuaram vivas.

Vejo essa febre de negócios na Internet se repetir, e novamente empresas de tijolos se aventuram no mundo da Web, só que não possuem alma, corpo ou mente para Internet.
Alma - Amar a agilidade - Logística, atendimento e transparência
Corpo - Morte por disfunção hormonal - Fazer sucesso na Internet muitas vezes quer dizer pagar para ter prejuizo. Poucas pessoas fazem idéia do que é ter um milhão de acessos diários, e o que é necessário de equipamentos para manter isso.
Mente - Para onde estou indo, o que eu sou? - É verdade que para estar no mundo online você tem que ser flexível, mas não dá para ser um gato pela manhã e um rato a noite.

No TED de 2009, além do renomado professor citado, vários outros personagens, famosos ou não, colaboraram. Como eu queria fazer um paralelo usando a metodologia que “todos” acreditam ser a formula do sucesso, fui atrás da palestra do evento que teve mais audiência no Youtube (A do Silvio tinha 1.783 visualizações), a que encontrei com mais visitantes foi a do presidente do Banco Santander, Fábio Barbosa (259.894 views). Ganhou de longe da Regina Casé, que fez uma apresentação sobre Funk Carioca, Forró Eletronico e Kuduro. Com 15355 views.
Tirem suas próprias conclusões, mas a minha é de que, o povo ainda é manada, mas na internet, são os que sabem ler e entender que prevalecem (por enquanto).

TEDxSP 2009 - Fábio Barbosa: Reforma de Valores


Ler e entender não quer dizer muito, já que esse mesmo público consome muita coisa estranha. E ainda correm o risco de acreditar que a revolução no Egito só aconteceu porque existe Internet e Celular (Se isso fosse verdade, Maria Antonieta teria sido enterrada com a cabeça no lugar).

Antes que mencionem isso...
O papel do Sívio Meira como empreendedor e alavancador do Porto Digital e do Cin na UFPE é irrefutável. Parabéns para ele. Porém, vivêmos a síndrome do mundo perfeito, e na realidade, estamos longe disso. Empresas vão para o Porto Digital para conseguir isenções e por pura hype, e acho justo... Se você trabalha com tecnologia tem que ficar próximo desse universo, e o Porto é o Vale do Silicio de Pernambuco, só não conseguimos emplacar algo que tenha repercussão. Somos apenas mão de obra barata. Mas isso também deve mudar. Idealistas e mentes pensantes não faltam. O que falta é um real incentivo. Algo que fomente grandes idéias sem querer tomar elas dos seus donos mesmo quando ainda são embriões.

Curiosidade...
Em mais uma das minhas batalhas campais, durante um debate mais ácido sobre Twitter, eu disse:
- Fulano, quantos funcionários existem aqui na empresa?
- 60
- Quantos tem twitter?
- Todos!
- Certo, isso porque vocês obrigaram os caras a entrar no Twitter da empresa!
- Hummmm eimmmm... éeeeee (morgol)
- Agora seja sincero, quanto usam essa merda?
- Nenhum!

Acreditem, NENHUM é NENHUM mesmo, inclusive a equipe que é voltada para aplicações Web. (Se eu fizesse parte dessa equipe, usaria Twitter todos os dias... Porque o segredo está ai, adapte-se ao “core global”, como disse o S. Meira, é uma questão “Darwiniana”).

O Fábio Barbosa trabalha para um banco, e nem por isso precisou esconder a verdade para levar o titulo de melhor palestra do TEDx São Paulo 2009 (Pelo menos em audiência no tubo).

O melhor comentário que achei no site do TED foi esse:

Celso Mattos: Suas palavras combinam com as deste bispo cearense: www.youtube.com/watch?v=ZNuFlHAWwxo E, como dizia Makiguti (educador japonês do início do século XX, perseguido pelos militares de lá): "Se você não tem a coragem de ser um inimigo do mal, então também não pode ser um amigo do bem."
Postar um comentário