sábado, 28 de janeiro de 2012

IPO do Facebook. Vamos continuar a quebradeira?


Existe um boato no mercado que durante a próxima semana o Facebook irá se lançar ao mercado, no que seria o maior IPO da história do mundo da tecnologia.

Primeiro deixa eu tentar explicar o que é IPO 
Imagine uma empresa que começa a crescer, ou melhor, crescer muito. Essa empresa, no modelo tradicional de negócios (capitalistas), irá precisar de grana para continuar crescendo. Uma das soluções mais conhecidas é tornar a empresa “aberta” e fazer uma oferta de ações nas bolsas de valores.
Essa primeira oferta é o IPO (Initial public offering) ou Oferta Pública Inicial, assim, qualquer entidade investidora ou pessoa comum pode comprar as ações da empresa. Funciona como um leilão, e é o tal do Mercado que estipula o valor das ações.

Se você é novato nesse negócio de ações e empresas globais, já deve ter ficado curioso para entender como funciona esse tal de Mercado, que é tratado como uma entidade mediúnica, um ser titânico e dono da verdade mais verdadeira. Só que é mentira, o mercado é um simples punhado de velhos, metidos a sabichões e que mandam na sua vida, mesmo sem você permitir isso. Eles estão no topo da pirâmide, são aqueles que escrevem os roteiros de tudo que você lê nos jornais e na TV (Bem, citei esses dois meios de comunicação por serem os mais velhos e retrogrados, ainda presos na coleira do Sr. Mercado).

O Facebook, que nasceu dentro de uma faculdade americana, sem muito sentido, sem muita perspectiva, mas com um crescimento viral. E para qualquer um que acredita no “Ouro dos tolos”, tudo que cresce rápido e tem muita audiência vale muito, muito mesmo.

É por isso o Facebook quer chegar ao Mercado, valendo US$ 100 bilhões (Valor total da empresa).

Agora vou tentar explicar porque o Facebook não vale sequer os US$ 10 bilhões que eles pretendem levantar no seu primeiro IPO:

1. O Facebook não gera resultados financeiro. Traduzindo: Não dá lucro! O site da rede social turbinado por 800 milhões de usuários não tem um modelo de negócio lucrativo. Eles não conseguem pagar o próprio custo, e quanto mais crescem (mais usuários) maior é o custo para se manter.

2. O Facebook para existir teve que arrumar dinheiro emprestado. E quem empresta R$ 5 mil é banco, quem empresta bilhões de dólares são investidores, ou melhor, fundos de investimentos, que são na verdade formados por pessoas escolhidas pelos donos dos bancos para “brincar” com o dinheiro dos acionistas. E se você acha que não é acionista, é porque não sabe que os bancos são amigos do Sr. Mercado, e o seu dinheiro que está na conta corrente ou poupança não fica ali parado, o banco dá ele para o Sr. Mercado brincar de apostar.

3. O Facebook tem um custo operacional que ninguém conhece, nem mesmo os fundos de investimentos que apostaram bilhões de dólares nele. É algo muito técnico para o Sr. Mercado - Lembrem-se que ele é um punhado de velhinhos caquéticos. Eles podem até usar iPad, mas não sabem direito como aquele treco funciona.

4. O Facebook é um único serviço. Mesmo que ele lembre o aniversário dos seus amigos, lhe mostre fotos e fofocas, é tudo integrado em um único pacote. Já ouviram uma frase do tipo: “Não dá para ser bom em tudo”?

5. O Facebook vem adiando o seu IPO devido ao lançamento do Google+, que se fracassasse faria seu preço subir ainda mais. Como o Google+ cresce a uma velocidade assustadora, o Facebook tem que se jogar para o Mercado o mais rápido, porque aqueles senhores que emprestaram o dinheiro no inicio, querem ele de volta, e rápido, caso contrário a verdade virá a tona e aquele investimento que prometia render muito irá se transformar em um mar de cabeças rolando.

Para piorar a história (sim, ainda pode ser piorada), os fundos de investimentos que devem administrar esse IPO serão o Morgan Stanley e o Goldman Sachs Group. Os dois bancos são alvo de investigações desde que começou a quebradeira dos bancos americanos em 2009. Inclusive, o Morgan Stanley é o responsável pelo IPO de duas empresas bem sujas a Zynga e Groupon.

Claro que posso estar errado, e o Sr. Mercado vai ganhar mais uma, já que quem manda no mundo são os poderosos. Mas anota ai velhinho, todas as empresas citadas aqui, incluindo o Facebook, estão com os dias contados.

Tem gente que me acha muito otimista, que acredito em um mundo melhor e blá, blá, blá...
É verdade, eu sou assim mesmo.

O problema, é que o próprio Facebook é uma arma, e está atirando no próprio pé. No mundo conectado, empresas e pessoas que ganham grana baseados em mentira, escondendo ou inventando números, estão na cadeia alimentar e serão devorados pelo dragão mais assustador de todos, a realidade dos fatos.



Editado:

Esqueci de indicar um excelente filme: Wall Street O Dinheiro Nunca Dorme (Wall Street Money Never Sleeps - 2010).
A história é quase que real. O filme é de Oliver Stone, e mesmo sem ser uma continuação oficial, Michael Douglas revive o seu personagem Gordon Gekko de Wall Street - Poder e Cobiça (Wall Street -1987), também do Stone. Douglas é novamente protagonista de Vidas em Jogo (The Game -1997), no filme - Adivinha - Ele também é um empresário bem sucedido.



Fonte: The Wall Street Jornal, ReadWriteWeb
Postar um comentário