segunda-feira, 5 de novembro de 2007

Daqui pro futuro


Lembro bem do período doce dos mineiros... Primeiro disco do Skank... Era uma lapada no comum. Tinha até critica política no disco. O pessoal de BH [Belo Horizonte] sempre foi chegado num rock, mas coisa mais para Heavy Metal. Mas nos anos 90 surgiram entre outras bandas Pato Fu e Skank. Infelizmente o Skank perdeu o ar de banda pop com cara de coisa nova, virou radio FM.

O Pato Fu é diferente. Eles não têm medo de se divertir. Não desmerecendo o Skank, mas nada como uma banda que se renova fazendo o mesmo, a boa e velha [velha?] musica pensada e doce como queijo com goiabada.

Em daqui pro futuro, a vocalista Fernanda Takai e John Ulhoa deixam nas letras a fase mamãe e papai que estão vivendo. São músicas doces e de uma magia que só os pais amorosos conseguem identificar.


A letra de Mamã Papá:


Conte sua história
Pois sua memória
Pode um dia se apagar

Não faça segredo
Não, não tenha medo
Estou aqui pra te escutar

Mamã Papá

Quem já tem neném
Sabe muito bem
Tem história pra contar

Ele já cresceu
Mas nunca se esqueceu do amor
Que havia em seu olhar

Mamã Papá

Quando seu corpinho se meche na barriga
É só um toquinho
Mas transforma sua vida

Conte sua história
Pois sua memória
Pode um dia se apagar

Não faça segredo
Não, não tenha medo
Estou aqui pra te escutar

Mamã Papá


O disco novo dos mineiros maneiros ainda tem um cover da Siouxsie & The Banshees:

Pato Fu - Cities in Dust


O detalhe é que esse clipe ai foi filmado em Londres
[Você sabe o que é fazer um cover da Siouxsie em Londres?]


Outra letra que me deixa respirando fundo é A verdade sobre o tempo:

Ele pensa que a vida ficou pra trás
Então finge que nem liga que tanto faz
Ou não, ou não, a vida é como um gás
Só um sopro, só um vento, nada mais

E o ar que já lhe passou pelos pulmões
De tão velho já quer ir descansar
Daqui pro futuro falta só um piscar
Que é pro tempo não mais nos enganar

Ele agora vê que o tempo é uma ilusão
E o passado são as linhas em suas mãos
Ou não, ou não, a vida é muito mais
Que os dias, que os deuses, que jornais

E o ar que já lhe passou pelos pulmões
De tão velho já quer ir descansar
Daqui pro futuro falta só um piscar
Que é pro tempo não mais nos enganar

Ou não, ou não, a vida é como um gás
Só um sopro, só um vento, nada mais


Parece que tudo na vida é tão simples, não?

Postar um comentário