sexta-feira, 2 de novembro de 2007

Nick Vujicic

É costume das tribos indígenas sacrificarem qualquer criança que venha ao mundo com deformidade. Pode parecer monstruoso para nossa sociedade branca, mas como um ser pode viver em um ambiente hostil onde até formigas podem matar o menos preparado?

Esse ato extremo era usado também para aqueles que se tornavam incapacitados, como velhos ou feridos graves.

Bem, há um bom tempo atrás recebi um desses e-mails que todos copiam para todos, e lá estava o Sr. Nick Vujicic, em um arquivo Powerpoint com frases de cunho positivo e fotos de suas viagens pelo mundo.
Não gosto de divulgar essas coisas, normalmente porque maior parte das pessoas cria um sentimento idiota que é a “pena”. Até hoje não consigo traduzir essa palavra, pena. Não que eu seja durão, pelo contrário. Sinto muita dor ao ver alguém sofrendo, mas pena é um sentimento (na minha opinião) ligado a sujeira, como se fosse algo que ofensivo.

Voltando... Nick é um australiano que nasceu com um problema congenital. Ele não possui braços ou pernas. Motivo suficiente para mocinhas irem as lagrimas, ou senhores durões curvarem as bochechas e franzirem a testa. Mas Nick e sua família não pensaram como o padrão, não o sacrificaram como os índios, e não o trataram com pena, como a sociedade moderna.
Nick, quem pensei se tratar de mais uma fantasia criada pela internet, realmente existe. Passa seus dias andando pelo mundo e divulgando sua experiência e acreditem, sua alegria de viver.

Infelizmente os vídeos dele no Youtube tem um cunho religioso ao extremo, separei o que achei mais divertido (não encontrei em português):

Nick Vujicic, No Arms, No Legs, No Worries! Part 1 of 3




Tirando essa moda motivacional, que se você virar o maior vendedor de rapadura já é eleito pela revista exame como conferencista global, o cara é muito divertido, e merece o posto de palestrante.

Site da ONG Life without Limbs:
http://www.lifewithoutlimbs.org/

Sociedade Primitivas:
http://www.crfaster.com.br/Atitudes.htm
Postar um comentário