quinta-feira, 8 de novembro de 2007

Você é idiota?

Desculpe a pergunta grosseira, mas você é idiota?


















Com os anúncios recentes de falsificação de leite, queijo, ração alimentar para estudantes pobres e outros inúmeros casos, a imprensa e população começaram a gritar. Mas é bem comum das massas gritarem quando algo surge na TV, de gol a um garoto arrastado por um carro, tudo evapora com no máximo um mês.

Você nunca notou que os produtos vem caindo de qualidade desde os anos 90?
Não notou que agora todas as empresas tem produtos voltados as classes menos abastadas?
Não notou que queijo ou presunto que ainda preservem algum sabor sumiram dos supermercados?
Não notou que o leite em pó integral e instantâneo só tem de diferente a lata?
Não notou que produtos de 400g passaram a ter 300g?
Não notou que os restaurantes prato-feito de shoppings diminuíram a quantidade de comida?
Claro que você notou! Afinal, você não é idiota.

Agora, como você pode ficar sabendo que está bebendo leite com química adulterada?
Como dá para imaginar que colocam ração de cachorro no pó de suplemento alimentar servido nas escolas públicas?
Como você vai saber se o remédio genérico é remédio ou farinha?
Como saber se o juiz que está avaliando uma indenização porque você perdeu as pernas num acidente de trabalho não é “amigo” da empresa?
















A coisa pode ficar mais grosseira...
Como acreditar que um orçamento para uma praça pública pode custar R$ 18 milhões, e ainda levar o nome da mãe do Lula?
Como acreditar em estradas construídas pelo exercito em regime de emergência, com BILHÕES em equipamentos comprados sem licitação?
Ah! Existe uma promessa do governo que essas mesmas estradas tenham os trabalhos finalizados por empreiteiras, claro, mais dinheiro e desvios.
Segundo a nova administração do estado de Pernambuco a violência sofreu uma queda em torno de 30%, e você se pergunta? Como? Com que providencias conseguiram isso?

Tudo sempre é bonito na TV, na marketagem política e nas caixas tetra pak.

E sabe qual é a solução para tudo isso?
Bem, eu também não vejo saída.
A única coisa que posso fazer é ser egoísta e fazer minha parte, mas não só na escrita ou no bate-boca de mesa de bar. Tenho que me recusar a dar dinheiro aos guardas de transito, cobrar nota fiscal de tudo e continuar reclamando de toda essa sujeira.

Seria bem mais fácil aceitar e entrar no jogo, afinal, iremos todos virar comida de vermes mesmo!

Ai amigo é onde a porca empena o rabo... Pode ser que naquele famoso assalto no semáforo você leve um balaço no crânio, e vire adubo 40 anos antes do que previa. Nos seus últimos instantes de vida irá lembrar daquela mulher maravilhosa que foi sua mãe, do filho que acabou de nascer, vai passar tudo em um flash... Menos aquele dia que você comprou remédio por 1/3 do preço com um “conhecido” que trabalha numa farmácia. Não vai lembrar da cara do sujeito que lhe vendeu aquele maravilhoso som automotivo completo por 300 paus. Nessa hora jamais você lembrará do “macaco” que tira energia do poste direto para seu ar-condicionado, e muito menos da água encanada que você já desfruta via um “jacaré”.

Pense em tudo isso antes de culpar só os políticos!

Postar um comentário