terça-feira, 21 de outubro de 2008

O Fim da Lógica

MeigoOlha, eu não sou o cara mais inteligente do mundo, não sou o mais moralista (longe disso), também não sou um ateu raivoso ou um nerd que se acha anarquista e que o Linux vai dominar o mundo. Faço parte da massa, daqueles que vivem com a mão na cabeça para pagar as contas no fim do mês.

O que me diferencia é que sou um negócio que chamam de empreendedor. E para ser empreendedor no Brasil você precisa de algumas características. Primeiramente saber que o mundo está contra você, já que começar um negócio honestamente e cumprindo todos os requisitos burocráticos exige que você seja um expert em centenas de regras e papeis que não servem (boa parte) para nada.

A Arte da Guerra
Em seguida você tem que começar a lidar com tudo que não tem lógica.
Se você já perdeu tempo lendo livros de auto-ajuda empresarial ou biografias de businessman’s fodões, perdeu tempo. Aqui no Brasil nem o Carlos Goshn conseguiu fazer a Renault andar como ele queria. A Dell quando chegou ao Brasil implantou exatamente o mesmo sistema americano, mesmo que imitando os demais fabricantes aqui já instalados, que só oferecem/fabricam equipamentos de terceira linha, porque o Brasil é colocado na categoria de clientes como México e África... Quer dizer, isso vem mudando, agora o México está nos fornecendo carros e eletrônicos, melhores que os fabricados aqui. A Dell aqui não é a Dell de lá, e na verdade, é uma empresa que vem se destruindo, jogando fora todos os belos conceitos capitalista puros... Obrigada a dar lugar ao Ultra Capitalismo do sangue e poder (Ou é isso, ou morre).

Ninguém percebeu, mas o Brasil vive um êxodo. Em 2 anos a solicitação de visto para viagens aos EUA (Teoricamente o pior país para quem quer ariscar uma vida nova) cresceu 300% (Trezentos por cento). Conheci e conheço pessoas que hoje estão na Suiça, Alemanha, EUA e Canadá. Algumas com uma bela formação e muita competência, e outras que foram ariscar, e se deram bem. Estou falando de gente comum, agora imaginem os outros tantos de seres ultra competentes e inteligentes que não estão largando essa bomba relógio de país?

Nos anos 90 eu vi esse mesmo êxodo. Eram famílias inteiras que saiam do Brasil, mas nessa época eram os ricos, que não suportavam mais viver em um lugar que seqüestros eram uma rotina.

Brazil
Recentemente descobri que dois dos grandes nordestinos que eu sou fã como homens bem sucedidos, no inicio de suas carreiras por volta dos anos 50, ganharam muita grana vendendo chumbo, ou seja, balas. Claro que não sou louco em acreditar que pessoas saem do nada para o mundo dos bilionários usando ética como carro chefe. Mas, será que não tem outro jeito?

Será que temos que enveredar no mundo do sucesso tendo que aceitar que deixaremos corpos para trás? Será que esse sucesso é compatível com um sonho de mundo melhor? Será que ter poder pode me ajudar a ajudar pessoas ou isso irá me corromper?

Não lembro de ter ouvido tanto a palavra “ética” como atualmente.
E vejo que hoje em dia o famoso “jabá” tomou conta de tudo. Pague por uma noticia e ela será publicada, e o meio de comunicação não está nem ai para o conteúdo.
Você acredita que nos anos 80 algumas agencias de publicidade se recusavam a fazer anúncios de cigarros e bebidas?

O curioso é que dentro das agencias existiam viciados em heroína e coca, mas algumas delas faliram se negando a entrar nesse meio sujo.
Hoje sou um falido por recusar vários caminhos que na minha opinião são sujos. Claro que cometi erros, claro que fui corrompido pelo poder, mas sempre me olhei no espelho.

Eu não desisto nunca
O problema é que hoje se você é empreendedor, não existe como se livrar dos vínculos sujos. Seja qual for seu negócio, de cada 5 situações (Vendas, parcerias, promoções, produtos, etc) pelo menos 3 levam a alguma quebra de ética.

Me diga qual seu trabalho/negócio que rapidamente consigo apontar alguma coisa que ele está relacionado e ou trás danos ao meio ambiente ou tem vínculos com corrupção.
Usar o termo inversão de valores é algo meio bundão. Parece coisa de sujeito frustrado que é doido para pegar a filha da vizinha que só tem 17 anos... Um moralista falso. Algumas inversões de valores foram boas para o mundo, como a liberdade feminina (que ainda está em modelagem, e muitas vezes mau utilizada pelas próprias mulheres).

Agora, quando fico sabendo, da parceria entre Padre Marcelo Rossi e o cantor Belo, vejo que nada nesse mundo mais faz sentido, na verdade essa parceria na minha opinião até faz sentido, já que eu acho o padre popstar um baita de um safado, e ver ele chamando um parceiro de traficantes de “amigo” faz até sentido.

O curioso é que quanto mais eu criticar Lulas e Padres Marcelos, menos popular me torno, e no mundo da audiência isso quer dizer que continuarei falido.

Se alguém conhecer um cirurgião que remova ética e lógica de cérebros afetados, por favor, me passe o contato, preciso ser operado urgentemente.


Survivor - Eye of the Tiger
Postar um comentário