quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

Natal das Formigas (e Cigarras)



Você só irá viver até os 80. Ou aos 64. Ou até amanhã. Lute, ganhe dinheiro, coma, reze, mas nunca, nunca deixe de viver.
Até hoje não consegui entender nada sobre a vida e as pessoas. Todas elas têm suas razões, preceitos e gostos particulares, tendo ideologias ou não. Alguns se rendem a seguir padrões, como se ceitas e gurus oferecessem algo solido o suficiente para garantir a paz.

Mas eu vos lhe digo, todos temos dias contados.
Seja você útil ou não para o mundo, no final, você não passará de matéria decomposta. Vai sumir. E mesmo que Deus exista, a sua existência aqui terá acabado.
Então se você precisa de um carro para se mover, precisa de energia para ver TV ou não vive sem uma coca-cola, vou te dar uma sugestão... Vá para o nada, vá para o vazio, vá para o grotesco. Assista documentários sobre holocausto e fome, sobre doenças e maldades humanas.

E depois veja outros sobre as baleias Orca e sua fidelidade familiar. Leia sobre simbiose, e como seres venenosos se ajudam mutuamente para continuarem vivos, vivendo em total dependência de um cuidar do outro. Veja como algumas culturas com milhares de anos ainda sobrevivem no meio das antenas e satélites. Veja como Cuba, um país pequeno conseguiu sobreviver oprimido por 50 anos isolado do mundo (isso não quer dizer que eu ache Cuba uma maravilha). Leia sobre os países ricos que não possuem área para plantar nem 20% do que precisam para comer, e mesmo assim são poderosos.

As regras que servem para alguns, ou para um único ser, deveriam ser esquecidas depois de praticadas. Se você realmente acredita que alguma “receita de bolo” irá mudar sua vida, esqueça! Todos somos diferentes.

E cada um tem o direito de desejar o que bem entender, sonhar livremente, mas deveríamos pensar seriamente antes de usar outro ser vivo como escada, ou objeto, ou couro para sapato, ou deposito de esperma, ou ainda vibrador vivo (as mulheres hoje já chegaram ao topo da hierarquia freudiana).

Natal
Hoje é Natal, e vejo em todos os cantos como essas datas estão mudando.
O mundo da diversão e alegria que explode nas cores berrantes das prateleiras de supermercados, nas imagens em alta definição das TVs ou nos outdoors... Tudo é festa, festa de consumo.

Claro que ainda existem famílias que se reúnem e trocam presentes. Podem ser realmente felizes e dividir um peru, ou não tão felizes e carregarem algumas brigas e desentendimentos entre tios ou primos, mas se conseguem unir todos em volta de uma mesa, ainda são família.

Existe uma tendência com crescimento bem alto, para que essas festas deixem de existir.
Não é porque as pessoas estão deixando de acreditar em Jesus ou Papai Noel (Hahaha!), mas família é algo que em breve deixará de existir, ou será muito raro.

Junto com a alienação do consumo, o fim dessa entidade chamada família, é a prova que o mundo tem muito a melhorar.

Temas pra caralho
Estou sem tempo para escrever, mas como sempre não faltam idéias, e como tão vai ter jeito mesmo, vou pincelar o que mais vem me afetando/alegrando/motivando esses últimos dias (ou meses):

Six feet under
Tenho que assistir todas as temporadas novamente. Se você quer saber o que é família, veja também.

Amor
É, não tem como negar, eu to ferrado! :D
(Não me peçam maiores detalhes, essas coisas eu não falo nem para amigos... quer dizer... falo só o básico :D)


Meu irmão grosseiro, troglodita nem imagina o quanto eu acho ele sábio em diversas vezes que ele filosofa como um guru. Ontem ele mencionou o caso Tudi, e tenho que contar como ele salvou a vida dessa gatinha, que eu, na minha dureza falei por 2 vezes em sacrificá-la em prol do não sofrimento. Mas ele persistiu e curou-a. Hoje Tudi é uma gorda gata que inclusive já foi mãe.

Meu irmão
Vou passar esse Natal com meu irmão, o cara que mais me deu forças e me ajudou durante todo esse ano.

Formigas e cigarras
Esse seria o tema de Natal. Eu falaria como não me sinto nem cigarra nem formiga, mas observo as formigas e adoro ver e escutar as cigarras.

Julgar
Mais uma vez eu me deparo com um mundo de controvérsias, e vejo que julgar pessoas é uma das coisas mais idiotas. Se você é desses que acredita que sabe tudo sobre uma pessoa só pelo jeito dela vestir, ou por onde ela mora, ou porque é filho de país sem instrução... Acredite, vejo todo dia pessoas que aparentam ser uma coisa e no fundo são o oposto.

Amigos
Esse fim de semana perdi meu celular, e estava em outra cidade, só por não conseguirem me contatar, amigos e família quase chamaram a polícia :D
Exagero demais é claro, já que não sou rico e nem menor de idade, mas é legal saber que ainda tem gente que se preocupa com você.
Amo tanta gente nesse mundo que os nomes não caberiam nesse blog.
Desejo muito para todos que o Natal um dia exista, em família e com um peru gigante na mesa.
(Se vc já tem tudo isso, parabéns!)
Postar um comentário