quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Killing In The Name



"A revolução não é um convite para um jantar,
a composição de uma obra literária,
a pintura de um quadro ou a confecção de um bordado,
ela não pode ser assim tão refinada,
calma e delicada,
tão branda,
tão afável e cortês,
comedida e generosa.
A revolução é uma insurreição,
é um ato de violência pelo qual uma classe derruba a outra."


Mao Tsé-Tung

Só um detalhe...
O Rage Against The Machine é contratado da Sony Music :)
E na China, construida por Mao, a coisa não é tão bonita e igualitária...

Vi parte da entrevista do Fernando Gabeira ao João Gordo na MTV... Achei o máximo ele falar que na sua época de guerrilha, ele só queria trocar uma ditadura por outra.
Ele também não recebe grana do governo por ter sido torturado no periodo militar, coisa que tornou  muitos pilantras milionários hoje.

E tem nego achando que esse negócio de proletariado no poder tá acontecendo, e aqui no Brasil. O que está realmente acontecendo é que os burgueses agora abraçam os pobres para poder retirar as moedas dos seus bolsos.

Tá... Mas isso tudo é para falar que estou ficando velho e continuo gostando do RATM :D
(E odiando a Sony que não trocou o DVD [O primeiro deles] que comprei e deu defeito depois de alguns meses)

Toda vez que vou ao supermercado e vejo CENTENAS de pessoas tatuadas, de donas de casas a velhinhas caqueticas pintadas com desenhos de mil formatos, vejo que o mundo está mudando.
Quando vejo (por acidente) videos de idiotas atirando pregos no proprio corpo, cortando as orelhas, saltando em cima de espinhos (isso tá no Joost), ou um cara de 200 quilos vomitando sobre a cara de um palerma com sua aceitação... E quando vejo meninas caindo bebadas em festas e ao deixar uma dessas na sua casa escutar do porteiro que aquilo é rotina...
Ainda tem a audiência do BBB para comprovar...
(Eu não suporto esse mundo poser... porra... velhinhas poser... não dá, não dá)

O mundo tá perdido...

De que adiantou se livrar de Mao, de Fidel, de Bush... Tá cada dia pior.

Só espero que quando o apocalipse estiver a 100% eu esteja com um iPod ouvindo Maria Callas.
Ou NIN, Massive Atack, Nirvana, Nietzer Ebb... Ou o disco completo do Moby (Moby 18 B-Sides).
Tá, eu prefiro mesmo que o mundo não acabe, e que as meninas aproveitem a liberdade que conquistaram, que os caras aprendam a respeitar a liberdade de ambos os sexos (não idiota, gay ainda não é sexo). 

Chantinon a 14 dias sem uma gota de refrigerante no sangue!
Postar um comentário