segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

O Depois depois de hoje



Ontem almoçando na casa da minha genitora, revi O Dia Depois de Amanhã.
Filmezinho que não me fez sentir nada no cinema, já que passei um ano acompanhando os reviews técnicos sobre os efeitos visuais.
A historia que em 2004 não me passava mais que uma chatice ecológica e mais uma vez bandeiras americanas por todos os lados... Hoje, depois de ler artigos sobre aquecimento e resfriamento global, vejo que o filme tem uma certa base científica.

Realmente eu não me preocupo com o planeta, por mais que esse ser que se diz inteligente destrua tudo que existe de belo, e transforme em desertos lugares que eram equilibrados, sei que tudo se reconstrói sozinho. Mas eu não suporto ver a cada dia um mundo mais vazio e seco, sem vida, mesmo estando super populoso.

As frases estúpidas que nos guiam:

"Eu não vou viver tanto que deva me preocupar com o amanhã"
"Que seja infinito enquanto dure"
"Eu sou feliz"


Deixamos de ser seres estúpidos quando passamos a nos preocupar com o que existirá depois de nossa partida. Assim se construiu a Suíça, um pais sem recursos nenhum, e hoje uma das maiores rendas per capita do mundo. Foi assim que os grandes mestres deixaram suas obras que serão executadas daqui a milhares de anos a frente, como J.S. Bach ou Pink Floyd.

Se você acredita na frase de artistas de novela, que tudo é "infinito enquanto dure", você fomenta o fim de tudo. É como se existisse uma certeza que tudo irá acabar, do amor ao nosso planeta. Isso pode ser verdade, mas é bom lembrar que no máximo você chegará aos 90 anos. O seu infinito então é menor que 100 anos, e uma garrafa pet pode durar muito mais que isso.
Acredite, as coisas podem durar mais que uma frase estúpida prega.

E se você se acha super feliz, está tudo uma maravilha e nossa... tudo está tão colorido...
Vou você está drogado, ou apaixonado ou ainda toma algum tarja preta. Aconselho a se manter apaixonado, porque o resto só está lhe matando, e você se diz feliz por isso.

A única certeza que tenho, é que quanto menor suas expectativas, menores seus sonhos, maior será sua "felicidade", a ignorância é uma dádiva nesses dias de BBB, músicas chulas e faculdades com mensalidades de R$ 90,00.

Ah! Sim! Vou continuar sem tarjas pretas, sem rir de brincadeiras estúpidas e sem achar graça em mulheres com nomes de frutas.

Meu pai falava que a TV popularizou a imoralidade e a viadagem, meu pai tinha direito de pensar assim já que viu um mundo militarizado. Ele nem imaginava o que viria a ser a internet, e como as informações se tornariam acessíveis a todos, e como isso simplesmente traria mais danos que benefícios. Tempos difíceis.

[Notaram quantas vezes a palavra estúpida foi repetida?]
[Tá vendo, a liberdade deixa até quem não sabe escrever... Tinha que ter algo bom nisso... Sempre tem :D]
Postar um comentário