terça-feira, 25 de maio de 2010

O Grande Circo, sem ilusão e novidade

Vendo posts antigos, atrás de uma música que gosto muito, nos comentários achei o link para o Blog da Flávia, e no meio dos links dela encontrei outro Blog... É raro encontrar gente com coragem hoje em dia para colocar o dedo na ferida, ainda mais trabalhando em um meio tão corporativista (área médica). Parabéns ao Dr.Paulo César Trevisol Bittencourt.

O mais curioso é que ontem fui dormir lembrando do amargo que existe nos pensamentos de Arthur Schopenhauer, citado pelo Dr. Bittencourt em seu curto texto.


O Espectador se aborrece

"O homem que sobrevive a duas ou três gerações pode ser comparado ao espectador de um circo, que assiste às mesmas farsas duas ou três vêzes seguidas. Como a farsa estava calculada para uma única representação sua repetição não causa efeito no ânimo do espectador, o qual se aborrece por estarem dissipadas a ilusão e a novidade"
Schopenhauer


A dor

"Se quereis a certeza das diferenças entre o prazer e a dor, comparem a impressão do animal que devora outro, com a impressão do devorado"
Schopenhauer


A música que eu procurava é essa ai abaixo.



Deu vontade de relembrar depois de escutar o disco novo dos Stone Temple Pilots. O vídeo Between The Lines mostra que o Scott Weiland continua com o estilo viva o álcool e as drogas. Particularmente eu sempre adorei bandas de Rock que pareciam ter data marcada para um fim. Mas hoje eu tenho idéia de que nem todo jovem pensa como eu (quando era jovem). Eu poderia ver mil consertos de Rock e nunca usaria drogas, ou sequer, pensaria em me vestir como meus ídolos.

Existe uma carga de responsabilidade incrível hoje em dia sobre figuras publicas, principalmente artistas, já que todos hoje se acham artistas porque podem colar um vídeo no youtube e ser visto pelo mundo.

E os péssimos exemplos chegaram a artistas que eu particularmente sempre gostei. Os novos discos do Massive Atack e do Unkle não convencem, e talvez por isso essas bandas decidiram criar clips polêmicos.
E para não falarem que sou quadradão, vale lembrar que tem um clipe do Massive que é um strip tease com uma quarentona, e o clipe é lindo. Mas o novo clipe não só exibe cenas de sexo explicito como é narrado pela atriz sexagenária, a interprete do porno. De uma só vez garotinhas passam a acreditar que essa vida é fácil. Mesmo que exista uma educação doméstica por trás, aquilo afeta o subliminar, e eis que mais putas pelo mundo (como um sujeito dizia, essa são as piores, dão de graça!). E ainda tem a questão de imaginarmos velhinhas safadas. Também na subconsciência isso gera a falta de respeito com os mais velhos.

O Unkle foi na mesma onda, e gente de cabelo branco como o indie eterno David Byrne, também partiu para a apelação. Será que o Ratinho do SBT é o novo guru do sucesso?

Será que programas como Pânico, CQC, BBBs, JackAss, etc... Serão o padrão do novo mundo?
Será que Schopenhauer estava certo em todo seu pessimismo?
Acho que não! Falsos profetas sempre existiram. Pessoas idiotas sempre existiram... O que me assusta é essa multidão que se adapta ao lixo.
(Meu Deus, perdi um leitor(a) fã do BBB e outro(a) da Lady Gaga... Vai fazer uma falta... )

Se você leu até aqui (Herói!) e seus neurônios ainda não foram afetados pela vontade frenética de ser famoso e mostrar ao mundo que você também pode ser ridículo, leia isso:

O Crime de Lady Gaga


Revelações:
1. Só fiquei sabendo quem era a Mulher Melancia a uns 2 meses atrás, vendo um blog (em inglês) de um brasileiro que replicou um documentário de uma TV Britânica. Levei uns 10 minutos até perceber quem era aquela figura grotesca e ocupar meu tempo com coisa melhor.

2. Desconheço todas as musicas da Lady Gaga. Nunca vi um clipe por mais que 20 segundos (tempo para analisar e mudar a tarefa/canal)

3. Todas essas bandas que eu gosto e estão se movendo para o lado negro da força, ficarão fora da minha playlist (pelo menos os novos lançamentos, que convenhamos, são um lixo comercial)

4. Irei continuar escutando bandas do capeta como Ministry, Rammstein (O disco novo é meiado), Tool, A Perfect Circle, Puscifer, etc... Porque esses ai sempre foram circo, e se chocavam no passado, hoje parecem anjos comparados com o mercado.

5. Para desespero do terceiro mundo, existe um movimento que vem crescendo no sentido contrário. Ao mesmo tempo que emissoras de TV criam documentários e seriados jogando todo o conceito de moralidade na lama, bandas de jovens cristãos e evangélicos crescem a um ritmo até maior que os "pops". Isso me lembrou o Live, e olha ai abaixo... E me diz se uma Lady Gaga consegue criar uma letra dessas ou ter beleza em um clipe assim:

Postar um comentário