domingo, 8 de agosto de 2010

Hiroshima e Nagasaki. O mundo esqueceu


No ultimo dia 6 de agosto foram completados 65 anos da destruição da cidade japonesa de Hiroshima. Amanhã, dia 9, devemos lembrar das outras tantas centenas de milhares de pessoas mortas em Nagasaki. Nenhuma desculpa já usada até hoje justifica o lançamento da segunda bomba.

Naquele período o mundo vivia em grande conturbação, as questões econômicas eram a pauta dos poderosos, e a segunda grande guerra era o que o povo debatia, e observava a ida dos jovens aos campos de batalha.

Os alemãs e americanos brigavam para serem os primeiros há ter em mãos a maior arma de destruição em massa já imaginada.

Muitas mortes depois, tratados, acordos e política diplomáticas, o mundo vive em relativa paz. Temos comida e dinheiro, só falta descobrir como distribuir isso. É uma questão de logística.
Será?

A cada vez que vejo uma palestra do Biil Gates e sua famosa frase de efeito: "Eu sou otimista com isso", vejo que o tom de sarcasmo e falsidade lhe enche os pulmões.
Não que ele esteja pretendendo piorar o mundo, muito pelo contrário, seus projetos paralelos ao mundo da informática podem torna-lo o homem mais importante dos últimos cinco séculos, tirando o trono de Gutemberg com sua prensa (Isso é uma opinião pessoal).

Graças aos livros os homens distribuíram conhecimento, dividiram pesquisas e chegou a Internet, agora seres irrelevantes podem criar armas químicas, planejar a destruição de arranha-céus...
Hiroshima e Nagasaki parecem tão distantes, mas são só míseros 65 anos atrás.

Gutenberg concebeu uma arma que um dia foi poderosa


Um dos maiores dilemas dos tempos modernos é o conhecimento tácito. Todos sabem de tudo, desde que o Google e o resumo de obras literárias continuem existindo.

Outro dia meu irmão aprontou uma...
Estava ele em uma mesa de bar acompanhado de pessoas "estudadas" e o tema do debate passou a ser a morte de um cantador popular, que eu mesmo agora não lembro o nome. Os "sábios" começaram:

-Vai fazer uma tremenda falta a nossa cultura!

Outro:
-Perda lastimável para os que ficam orfãos...

Meu irmão:
-Porra nenhuma rapaz! Canta ai uma só música dele "preuouvir", só uma, canta!

O silêncio na mesa foi interrompido 10 segundos depois com algum comentário futebolístico ou narrativa das pernas de uma morena.

Na Era do Conhecimento, ele dura pouco, muito pouco.

Essa foto do Little Boy você já devia conhecer (Marcos, acorda, hoje em dia não colocam mais isso nos livros de geografia e história, é passado... História é algo banal e fútil...)

Agora, aposto que você nunca imaginou que foi esse grupo "destemido" de militares que lançou a primeira bomba atômica:

Pode acreditar, não é uma brincadeira, essa foto é real


Queria informar que esse é o Post de número 500!
A comemoração será aqui na sala daqui a pouco. E como hoje é dia dos pais, eu gostaria de me dar um presente, mas é impossível... tenho que esperar alguns meses, ou seja, que 2010 acabe!
Me acordem quando 2011 chegar!

Postar um comentário