sábado, 1 de maio de 2010

Renegades Of Funk

Lembra que falei do Africa Bambaataa?
Algumas coisas podem mudar. As vezes mudam para pior, eis o que chamam de forró hoje em dia.
Outras podem evoluir, incluindo ai até o uso de internet como meio de divulgação na base do "chamar atenção".

Renegades of Funk - versão original



Renegades of Funk - versão Rage Against The Machine (Com imagens polêmicas)
Não posso colocar o vídeo. Tem que ver aqui, porque algum idiota engravatado não sabe o que é Internet e proíbe divulgação sem preenchimento de contratos, grana e teste do sofá.

[Polêmica é uma das palavras que passei a odiar junto com celebridade, futilidade e todas as outras geradas por vínculos com Axé, Forró, Funk carioca, Pagode moderninho e essas coisas passageiras]
Se você não percebeu, o sujeito que fez esse vídeo misturou coisas que seriam sagradas para roqueiros de várias estirpes, mas não precisou colocar foto do travesti Gaga, de sangue ou qualquer insulto a católicos, judeus, negros ou brancos, ou seja, ficou "chamativo", e ainda por cima boa parte da molecada que é analfabeta sobre Rock irá gastar o teclado no Google descobrindo coisas novas (espero que não seja Slipknot e Aerosmith  :D)

Ai você que é um dos poucos que lê essa merda até o fim... Perde seu precioso tempo tentando entender como um sujeito com um português tão pobre e danificado tem a coragem de ficar postando tanta porcaria na internet, mas... Tem aqueles que chegam até o final, ai são brindados com presentes (pode aumentar o grave e o volume - Principalmente se você curte percussão):

Renegades of Funk - versão Rage Against The Machine (Instrumental)



Algumas explicações:
Eu não acredito em audiência no sentido de criar fama. Eu não acredito em fama.
Fama é algo que meninas lutam para ter no colégio, e quando chegam aos 40 anos descobrem que fama muitas vezes foi o que a fez viver a vida por apenas uma década rápida e passageira. homem que procura fama ou não é homem ou é candidato político (Claro, pode ser as duas coisas - Tá vendo, não esqueci de vocês bichinhas candidatas a presidência do bananal)

Quando escrevo palavrões como: Merda, Puta que pariu, Fuck... Eu sei que o Google está me jogando para o fim de fila, quando não me bloqueando totalmente das suas pesquisas. Ainda mais, como o Blogspot é do Google, é praticamente impossível o Bing ou o Yahoo apontarem para esse blog.
Outras coisas que o Google filtra, incluem textos contra políticos e controladores do "sistema" (Desculpe lhe revelar que o Google não é bonzinho).

Uso o Blogspot como uma das minhas ferramentas de monitoramento social. Pesquisas que jogam os fuçadores aqui sempre são sem sentido, ou para me deixar de cabelo em pé tem gente procurando coisas como: "Como ser bandido", Sexo gay, Wilza Carla, "maior cobra do mundo", "the velvet underground & nico"... Ou seja, coisas que uma parte atômica da população procura.

Quando quero brincar com o Google e testar se minhas técnicas SOA funcionam, posso fazer brincadeiras como essa, ou dar sorte de ter publicado algo sobre um filme que posteriormente irá passar na Rede Globo.

Não vou arrumar namorada por internet (mesmo sabendo que Internet é hoje a maior ferramenta de socialização do universo). Não pretendo ganhar grana com o que escrevo. Não preciso de comentários, principalmente daqueles que esperam um retorno. Esse blog nunca terá mais que 150 visitas unicas por dia, e ficaria muito satisfeito que fossem apenas 10 ou 20, de pessoas que realmente me interessam ou se interessam pelas coisas que penso e pratico.

Um exemplo de coisa legal que ainda é possível encontrar na Internet é o blog do meu chará, que para minha surpresa é uma dessas pessoas que sabem bem o que estão fazendo nesse mundo, olha o exemplo:

"O casal estava lá pra dar atenção, por acreditar ser importante levar uma mensagem de esperança, por acreditar nunca ser tarde pra recuperação. Fazem isso com motivação e sem esperar reconhecimento de qualquer outra pessoa. Nenhum ser humano fora dali vê ou reconhece seu trabalho – eu estou reconhecendo, mas nem sei seus nomes -, não há promoção garantida, recompensa em dinheiro, acúmulo de bens materiais. Eles fazem aquilo que acreditam ser certo, e vão embora incógnitos, pra voltar daqui uns dias e continuar a missão."

Vale a pena ler o texto completo:
http://marcogomes.com/blog/2010/uma-madrugada-na-cracolandia

Já falei mil vezes aqui que estou em guerra!
O mundo se tornou um lugar estranho para mim, e só tenho a culpar meus pais por isso... Eles passaram longos anos martelando na minha cabeça para ser honesto e praticar o bem. Então você ai new generation, ame seus pais que te deixam jogado no mundo,  fingindo que estuda, fingindo que tem amigos e crescendo de acordo com o vento, isso parece um Tao, mas é só um dilema da modernidade dos preços baixos, pessoas baratas e o hedonismo egoista. Infelizmente, já não sou tão "paz e amor" como meu sósia de nome. Algo me diz que o mundo esqueceu o que é punição e amor (pode até chamar isso de Deus), e a coisa só irá voltar a ordem com muita porrada... Amor e carinho podem salvar 1 em 1 milhão, mas o que faremos com os 999.999 restantes?

Popularidade é coisa para vereadores, Ratinho e Padre Marcelo, eu quero mesmo é continuar nesse meu mundinho pequeno, mesmo que ele seja em São Paulo.

*escutando Rage Against The Machine, você queria que eu escrevesse o que? Uma poesia?   :D

FUCK YOUUUU!!! It's a WAR!!!

Postar um comentário