domingo, 5 de setembro de 2010

Mega-Sena Acumulada



E se você fosse o felizardo ganhador da Mega-Sena acumulada?
O que você faria com 92,5 milhões de Reais?

Nas ultimas semanas tenho (infelizmente) visitado hospitais. Minha querida tia Noemia que está mais pra lá do que pra cá... E nos últimos 2 dias meu filho sofre com gastrite.

Nesse vai e vem a hospitais eu que gosto de fazer piada de tudo e puxar conversa com o povão, fiquei interrogando os trabalhadores desse mundo hospitalar:

-Ei, me diz sério... Você ganhando a Mega-Sena, nunca mais apareceria por aqui, certo?

Boa parte dos que eu tentava a brincadeira só viravam a cara e me achavam louco. Mas ouvi de algumas enfermeiras e atendentes a resposta mais absurda para muitos... Elas falaram que nunca deixariam de trabalhar, e que adoram o que fazem. E eu, acredito.

Meu filho foi atendido por uma enfermeira de nome Raíssa, jovem e linda. No papo ela falou que era voluntária, estava ali porque adorava cuidar das pessoas. Ainda fiquei sabendo que seu roteiro da tarde envolvia um trabalho político, ligado a um candidato que ela apoia, e em seguida iria a um asilo, cuidar de mais gente que precisa de pessoas com esses corações nobres.

Antes da Mega-Sena acumular e chegar a esse valor interessante, eu joguei por duas semanas. Não arrisquei no grande prêmio.

Mas fiquei me perguntando... O que eu faria com tanto dinheiro?



Pois bem, podem começar a rir...
Meus desejos não poderiam ser atendidos por milhares de Mega-Senas acumuladas por anos.

Eu realmente pensei:
- Nossa! Com essa grana eu me mando para a Austrália, vou tirar férias indefinidas e vou isso e aquilo...

Ai eu me lembrei de um tempo obscuro da minha vida. Quando eu andava com uns universitários... Bares e boates de segunda a segunda. Não faltava dinheiro. Mas eu tinha como obrigação sair todas as noites, beber todas as noites.
Como sempre, meu tipo de diversão não é padrão para o mercado.
Eu adorava uma boate que tocava Blues e Jazz nas quartas-feiras, gostava de ficar no Recife antigo sentado em desconfortáveis cadeiras até chegar a hora de deixar as pessoas em casa e muitas vezes ver o sol nascer.

Descobri que tudo aquilo não me alegrava, eu estava vivendo um momento que pode ser legal e divertido para muitos. Eu não estava com meus amigos de verdade, eu só precisava me manter na noite, e isso culminou no único caso de cafajestice que já aprontei na vida. Sem ir a detalhes, eu dei gargalhadas de uma garota, e vamos considerar que ela não merecia muito respeito, mas eu sempre respeitei seja lá quem for.

Quando o efeito do alcool passou, e acordei relembrando a história, meu dia mudou, minha vida voltou ao normal. Eu não pertenço a esse mundo a lá Charles Bukowski.

E o que me faltava não poderia ser comprado.

Então... O que diabos eu faria com R$ 92,5 mi hoje?

Sinceramente, dinheiro ajuda.
Mas é bom tomar cuidado, imaginar que tem todo o poder, recursos, e o que você mais deseja não pode ser comprado, é algo que pode acarretar uma dor gigantesca.

Eu simplesmente não saberia o que fazer com tanto dinheiro, hoje.
(Tirando a Santa Fé de cor preta... E os infinitos dias mergulhando em Noronha)

Se eu pudesse escolher fazer uma troca (em caso de ganhar essa bolada), gostaria de voltar no passado. Ser menos tímido quando criança, e falar muitas vezes para minha tia o quanto ela era genial.

Ver meu filho crescendo, aprendendo, doente e curado, não tem preço.

Saber o real valor da vida, do amor, do carinho e da caridade, talvez seja desprezível para muitos, mas sempre existirão enfermeiras, médicos, faxineiros, garçons... que adoram ver um sorriso.

As gargalhadas das farras não me completavam e não me completam.

Hoje, se eu tivesse todo o dinheiro do mundo, isso não mudaria minha vida.
Eu sequer iria para todos os lugares que sonho. Iria ser cruel demais.

Já pensou sobre isso?
O valor das coisas difere para cada um.
Para mim, conhecer pessoas que pensam e agem como a Raíssa, isso sim é um Mega Premio.




Ao som de Danger Mouse & Sparklehorse: Revenge
Postar um comentário